Carreiras especiais: Progressão sobe salário em 120 euros por mês

Cerca de 120 mil trabalhadores das carreiras especiais irá ter um acréscimo médio no ordenado de 1667 euros por ano.

A recuperação de 70% do tempo de serviço que esteve congelado entre 2011 e 2017 vai contribuir para que os funcionários públicos das carreiras especiais tenham, este ano, um aumento salarial médio de 120 euros brutos por mês, avança o ‘Correio da Manhã’ na sua edição de hoje.

O Governo prevê que o descongelamento das carreiras especiais da Função Pública, por via das progressões, vai ser de 240 milhões de euros por ano a partir de 2021, com um impacto de 40 milhões já este ano.

O faseamento previsto no diploma aprovado, que divide a progressão por três momentos – 2019, 2020 e 2021 – vai implicar um custo de 140 milhões de euros em 2020, aos quais vão acrescer mais 100 milhões de euros em 2021, totalizando nesse ano os 240 milhões que vão ser o impacto permanente da medida.

Segundo o secretário de Estado do Orçamento, João Leão, o impacto de 40 milhões de euros previsto para este ano “está dentro da margem que ainda é possível de acomodar” no Orçamento do Estado deste ano.

Os professores representam a quase totalidade da despesa, com um custo de mais de 190 milhões de euros dos 240 milhões de euros totais, o que significa que o impacto da contagem do tempo para militares das Forças Armadas e GNR, magistrados e oficiais de justiça será de menos de 50 milhões de euros.

Relacionadas
Recomendadas

Angolana Aenergy vai gerir elétrica pública do Gana durante 20 anos

A Aenergy, liderada pelo português Ricardo Machado, ganhou a concessão e vai realizar um investimento superior a 530 milhões de euros.

José Avillez abriu no Dubai mas fechou três restaurantes em Lisboa

A Cantina Zé Avillez, um dos mais populares, junto ao Campo das Cebolas também encerrou as portas ao público. Abriu em 2018 e o objetivo era servir almoços rápidos para a população lisboeta.

Quanto tempo tem de trabalhar para comprar um Ferrari exclusivo de 32 milhões? Messi só precisou de 4 meses

A revista Forbes divulgou esta semana os rendimentos dos desportistas mais bem pagos de 2019, e a Apuestas Deportivas decidiu analisar com quantas horas de trabalho é que as estrelas conseguiram pagar o seu automóvel de eleição
Comentários