Casafari pretende contratar mais 50 profissionais em Portugal

A plataforma online do mercado imobiliário quer reforçar a sua equipa no território nacional e está a recrutar, pelo menos, 50 profissionais para vários departamentos até ao final deste ano.

A Casafari, plataforma online para o mercado imobiliário que recorre à inteligência artificial pretende reforçar a sua equipa em Portugal, e para isso vai contratar pelo menos 50 profissionais para as áreas de data e software, mas também para os departamentos de vendas e recursos humanos, revelou a empresa em comunicado.

A companhia encontra-se instalada no centro de Lisboa, e conta com mais de 15 nacionalidades nos seus quadros laborais e com estas contratações pretende responder ao processo de forte crescimento e à crescente procura pelos serviços inovadores, da empresa desde que chegou a Portugal.

Esta plataforma agrega mais de oito milhões de referências na Alemanha, Espanha e Portugal de sete mil fontes sobre imóveis dispersos e repetidos por diferentes páginas na internet, conseguindo identificar quando se trata do mesmo imóvel e disponibilizando toda a informação sobre esse imóvel num único local.

Nils Henning, co-fundador da Casafari, juntamente com Mila Sukhareva, refere que a empresa está “num processo de rápido crescimento, com uma forte procura por parte dos nossos clientes e pretendemos reforçar a equipa para acompanhar este momento e preparar o futuro. Queremos atrair, recrutar e trabalhar com os melhores talentos para continuar a desenvolver a nossa plataforma e a inovar junto dos nossos clientes”.

“Comprar casa para nós foi a pior experiência de sempre”

Ler mais
Relacionadas

“Comprar casa para nós foi a pior experiência de sempre”

Em Portugal há cerca de um ano, a empresa gerida pelo casal alemão conta já com mais de mil clientes e 24 mil imóveis únicos registados, olhando para o nosso país como a sua ‘ostra’. Apesar de estar atenta ao mercado imobiliário a nível mundial.
Recomendadas

“Urbiwise não vai competir com imobiliárias. O nosso negócio é trabalhar dados”, refere fundador

Plataforma foi criada pela Sigularity Digital Enterprise, da qual Pedro Martins é um dos fundadores. Com apenas duas semanas de atividade no mercado os portugueses já fizeram mais de 60 mil avaliações de imóveis na plataforma, que permitiu uma poupança de mais de nove milhões de euros nas avaliações.

Amnistia Internacional: “Vistos gold só trazem dificuldades para a classe média e baixa no acesso à habitação”

O acesso à habitação é, aos olhos da AI, um dos maiores desafios de direitos humanos em Portugal, “não só para as pessoas mais pobres, mas também para uma certa classe média e trabalhadora”, afirma Pedro A. Neto, diretor-geral da Amnistia em Portugal, em entrevista com o Jornal Económico. Preços “incontornáveis” são impulsionados pelo aumento dos ‘vistos gold’.

Helena Roseta considera “irrealista” compromisso de erradicar carências habitacionais até 2024

A ex-deputada independente eleita pelo PS Helena Roseta disse esta sexta-feira que é “irrealista” o compromisso do Governo de erradicar todas as carências habitacionais até 2024, indicando que existem mais situações além das identificadas no levantamento nacional de 2018.
Comentários