Cascais recebe Summit da Singularity University

As áreas da saúde e da energia foram as protagonistas do Global Impact Challenge, da SU, iniciativa que envolveu a Nova SBE, Câmara de Cascais e Beta-i. Os seus promotores vão agora para a NASA.

Cascais vai ser palco, de 8 a 9 de outubro, da SingularityU Portugal Summit Cascais, que irá trazer líderes internacionais e figuras influentes da ciência, tecnologia e inovação. O anúncio foi feito esta segunda-feira na cerimónia de apresentação do vencedor do Global Impact Challenge e colheu pela surpresa.

Não houve um, mas, sim, dois projetos vencedores: SkinSoul Mov.e, que têm agora como destino a agência espacial norte-americana NASA…

Liderado por Sofia Couto da Rocha e Pedro Mendes Basto, o projeto SkinSoul assenta numa plataforma de Saúde, que usa uma app que incorpora inteligência artificial para reduzir o tempo de diagnóstico de cancro de pele. “Queremos salvar todos os que forem possíveis”, afirmou ao Jornal Económico Sofia Couto da Rocha, médica, com um MBA e agora também empreendedora, que dedicou o prémio ao seu mentor, Dr. Larguito, entretanto, falecido.

Impulsionado por Pedro Silva, Pedro Garcia e José Toscano, Mov.e assenta na transformação digital do contrato de eletricidade de forma a ter acesso à mesma (eletricidade) a qualquer momento, em qualquer lugar, com segurança e privacidade a um custo competitivo, devido à tecnologia blockchain.

O prémio do Global Impact Challenge passa por potenciar as ideias num programa de 10 semanas com a equipa da Singularity University no SU Ventures Incubator Program, situado no NASA Ames Research Center, em Silicon Valley (EUA).

A iniciativa, lançada em Portugal graças a uma parceria entre a Singularity University e a Câmara Municipal de Cascais, a Nova School of Business & Economics e a Beta-i, recebeu 77 projetos. Os oito projetos finalistas, ontem defendidos pelos seus promotores no Centro Cultural de Cascais são oriundos das áreas da Educação (dois), Administração (dois), Saúde, Energia, Alimentação e Ambiente (um, cada).

 

8 projetos finalistas

Biti (Educação). Uma app que pode ser instalada numa TV inteligente ou num tablet, que tem em consideração as preferências das crianças e onde todos os conteúdos são pré-aprovados.

SkinSoul (Saúde). Usar uma app de inteligência artificial para reduzir o tempo de diagnóstico de cancro de pele.

Transprnt (Administração). Plataforma que gere as doações monetárias entre doadores e projetos sociais num ambiente seguro, descentralizado e aberto que possibilita a monitorização de necessidades de financiamento em tempo real.

Dreamshaper (Educação). Plataforma que permite que qualquer professor implemente project based learning de forma fácil.

Mov.e (Energia). Transformação digital do contrato de eletricidade para ter acesso à mesma a qualquer momento, em qualquer lugar, com segurança e privacidade a um custo competitivo, devido à tecnologia blockchain.

myPolis (Administração). Um tinder para idéias. myPolis é uma plataforma para ligar políticos a cidadãos, uma ferramenta para envolvimento cívico e orçamento participativo

ProdTo (Alimentação). Serviço de entrega e aconselhamento de alimentos que liga produtores de alimentos, especialistas e consumidores para criar uma maneira mais sustentável e conveniente de comprar e consumir.

Firefly Global (Ambiente). Uso de imagens de satélite para saber para onde enviar equipas para limpar florestas, evitando assim incêndios.

Ler mais
Recomendadas

CIP e Nova SBE lançam esta quinta-feira programa que prepara mulheres para CEO

Carla Sequeira, secretária-geral da CIP, explicou ao Jornal Económico que a confederação abraçou este projeto com a ideia de acelerar o processo de diversidade e de mudança nas empresas.

Miguel Poiares Maduro escolhido como titular da Cátedra VdA em Digital Governance na Católica

A Católica Global School of Law e a sociedade de advogados Vieira de Almeida vão apresentar uma Cátedra VdA em Digital Governance, que terá Miguel Poiares Maduro como titular.

FENPROF protesta esta quinta-feira contra OE2021 “restritivo” e “sem soluções sólidas” para educação

Professores e educadores concentram-se esta quinta-feira, 29 de outubro, em frente ao Parlamento em protesto pelo que dizem ser um recuo no financiamento do setor da educação, do ensino superior e da ciência.
Comentários