Catarina Martins diz que o Bloco de Esquerda apresentou ao PS uma proposta para “entendimento inicial”

A coordenadora bloquista, Catarina Martins, afirmou esta quarta-feira que o BE apresentou ao PS uma proposta para “entendimento inicial que possa estar plasmado no programa de Governo”, com o objetivo de reforçar uma solução política com “um horizonte de legislatura”.

Catarina Martins falava aos jornalistas na sede do BE, em Lisboa, já depois das declarações do secretário-geral do PS e primeiro-ministro indigitado, António Costa, após uma reunião de mais de uma hora entre as duas equipas negociais de bloquistas e socialistas.

“O Bloco de Esquerda apresentou, nesta reunião, a proposta de um caminho para um entendimento que possa ser plasmado no programa de Governo, que garanta estabilidade à vida das pessoas e portanto reforce uma solução política de horizonte legislatura com as medidas que todo o país conhece porque eu as anunciei publicamente”, começou por dizer.

Segundo Catarina Martins, BE e PS debateram as “possibilidades de caminho”, tendo os bloquistas apresentado um proposta “para um entendimento inicial que possa estar plasmado nesse programa de Governo”, o que seria na sua opinião “garantia de trajetória de recuperação de rendimentos e direitos para quem vive do seu trabalho em Portugal”.

“Julgo que foi uma reunião importante, foi uma reunião muito franca”, respondeu a líder bloquista, deixando claro que o BE não fecha a porta a, caso esse caminho não seja possível, se negociarem medidas caso a caso.

Relacionadas

António Costa diz que conversações com Bloco de Esquerda serão avaliadas na próxima semana

Primeiro-ministro indigitado diz confiar na “vontade de estabilidade política” dos antigos parceiros e aponta 21 ou 22 de outubro como data de constituição do próximo Governo.

“O PCP tem o seu próprio programa”. Jerónimo de Sousa rejeita acordo escrito com o PS

“Há quatro anos foi exigido um acordo escrito por parte do Presidente da República”. Jerónimo de Sousa realçou que o quadro não é esse e que não há nenhum obstáculo à formação de um governo socialista.

Costa aceita “não” do PCP a acordo escrito e diz que não terá parceiros de esquerda preferenciais

“Respeitamos os partidos que entendem que é útil que haja acordo escrito [Bloco de Esquerda] e também os partidos que entendem que não é útil que haja acordo escrito [PCP]. Não trabalharemos preferencialmente com nenhum dos partidos com quem temos contactos ao longo do dia de hoje”, declarou António Costa no final de hora e meia de reunião na sede do PCP.
Recomendadas

Lisboa vai ter mais 10 mil lugares de estacionamento da EMEL no próximo ano

No total, vão passar a existir mais de 100 mil lugares na via pública geridos pela EMEL até ao final de 2020. Autarquia planeia mais fiscalização nos estacionamentos abusivos e em segunda fila.

Miguel Pinto Luz anuncia candidatura à liderança do PSD

Miguel Pinto Luz junta-se a Luís Montenegro na corrida pela chefia do partido liderado por Rui Rio.

CDS: Assunção Cristas renuncia ao mandato de deputada

A líder centrista mantém-se no cargo de deputada até ao congresso do CDS, mas não se recandidata à liderança.
Comentários