CBRE promove três portefólios de escritórios no valor de 175 milhões de euros

Diretor-geral da consultora imobiliária em Portugal, revelou que dois dos portefólios ficam na zona de Lisboa e o outro no Porto.

A consultora imobiliária CBRE irá colocar no mercado durante as próximas semanas três portefólios de escritórios que valem em conjunto 175 milhões de euros. A informação foi dada por Francisco Horta e Costa, diretor-geral da empresa em Portugal, à margem da apresentação das “Tendências do Imobiliário”, da consultora realizada esta segunda-feira.

Francisco Horta e Costa revelou ao Jornal Económico que dois dos portefólios vão estar localizados na zona de Lisboa, cada um deles avaliado em 50 milhões de euros, sendo que o outro será na região do Porto, no valor de 75 milhões de euros.

Durante o evento,  Nuno Nunes, diretor senior, Capital Markets da CBRE referiu que o mercado imobiliário comercial registou um crescimento de 57%, no ano de 2018, face a 2017, o que correspondeu a um volume de 3.5 mil milhões de euros.

A consultora estima que o volume de investimento em imobiliário de rendimento se fixe entre os dois mil e 2.500 mil milhões de euros em 2019, podendo verificar-se o segundo ano de valor mais elevado de sempre e aproximadamente o dobro da média anual dos últimos 15 anos (de 1.100 mil milhões de euros).

André Almada, responsável pela área de escritórios indicou que em 2018, Lisboa registou uma ocupação de 206 mil metros quadrados, um crescimento de 25%, em relação a 2017, com o Porto a ter uma taxa de ocupação de 80 mil metros quadrados.

Cristina Arouca, Diretora de Research da CBRE Portugal, afirmou que “estão reunidas todas as condições para que o dinamismo verificado em 2018 no mercado imobiliário em Portugal se mantenha durante este ano. As previsões apontam para um volume do nível de investimento robusto, embora abaixo do nível de 2018”.

Ler mais
Recomendadas

Valor gerido por fundos de investimento imobiliário cai 26 milhões de euros em julho

A Interfundos (13,1%), a Norfin (10,4%) e a Square AM (10,3%) detinham as quotas de mercado mais elevadas em julho.

PremiumA mesma taxa de esforço, numa casa três vezes maior

No Barreiro, uma família com rendimentos médios de 1.411 euros e uma taxa de esforço de 33% consegue comprar uma casa de 155 m2. Em Lisboa, com rendimentos médios de 1.733 euros e a mesma taxa de esforço, é possível comprar uma casa de 50 m2.

Isabel dos Santos compra mansão em Londres no valor de 14 milhões de euros

A residência fica na zona de Kensington uma das mais luxuosas da capital inglesa. Contudo, o negócio está a gerar polémica entre os vizinhos, já que Isabel dos Santos pretende demolir e reconstruir a casa com um piso adicional subterrâneo.
Comentários