CDS-PP acredita que “Governo falhou por omissão e por ação” na situação de Odemira

Francisco Rodrigues dos Santos recordou que algumas das condições de habitabilidade “já tinham sido denunciadas no passado como inaceitáveis”.

O presidente do CDS-PP, Francisco Rodrigues dos Santos, criticou esta terça-feira o Governo pela forma como atuou quando aos trabalhadores imigrantes de Odemira e considerou que o executivo de Costa “falhou por omissão e por ação”.

Em entrevista aos jornalistas, o líder centrista considerou que o “Governo falhou por omissão e falhou por ação”. “Onde é que esteve o Governo ?”, questionou Rodrigues dos Santos.

“O ministério da Solidariedade Social, a ACT [Autoridade para as Condições do Trabalho] e até as autoridades locais na fiscalização das condições de habitabilidade e de trabalho de muitos destes trabalhadores, algumas delas já tinham sido denunciadas no passado como inaceitáveis”, frisou o centrista.

Na sexta-feira, 30 de abril, foi noticiado pela agência Lusa que um grupo de emigrantes vivia em condições precárias em Odemira, sujeita a uma cerca sanitária pela alta incidência de casos de Covid-19. Entretanto, o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) já apontou a existência de 32 inquéritos crimes sobre tráfico de pessoas e mão de obra ilegal.

Para o CDS-PP, o Governo falhou ainda “por ação porque transferiu para os privados a solução para esta situação, o que é de facto grave porque ocupou-lhes as casas e cerceou o direito à propriedade privada”. O comentário de Francisco Rodrigues dos Santos referia-se à requisição civil do Governo para utilizar a unidade hoteleira Zmar para a transferência de doentes.

Relacionadas

Odemira. Marcelo aguarda por “relatórios” sobre imigrantes e prepara Presidência Aberta no Alentejo

Segundo o “Expresso”, tanto o relatório como a Presidência Aberta no Alentejo têm como objetivo esclarecer o Presidente quanto à situação laboral e epidemiológica dos imigrantes.

Odemira. Governo ordena encerramento de empreendimentos turísticos e de alojamento local nas duas freguesias com cerca sanitária

O Executivo determina o encerramento da atividade dos empreendimentos turísticos e estabelecimentos de alojamento local nas freguesias de São Teotónio e Longueira – Almograve. Estabelecimentos devem comunicar as forças de segurança a identidade dos seus hóspedes para garantir a sua saída da cerca sanitária.

Mais de 9.600 imigrantes viviam legalmente no concelho de Odemira em 2020

Um total de 9.615 imigrantes viviam legalmente no concelho de Odemira em 2020, a maioria do Nepal e Índia, que trabalham essencialmente na agricultura, cujas empresas têm europeus em cargos de direção e gestão, indicou hoje o SEF.
Recomendadas

Respostas Rápidas. Governo alega interesse público e insiste na requisição civil do Zmar. O que se segue?

O Governo já apresentou um recurso em tribunal à providência cautelar que bloqueia a requisição civil ao complexo turístico do Zmar. Seguem-se novas negociações com todos os intervenientes políticos e sociais sobre o realojamento dos 13 imigrantes que ainda permanecem nos ‘bungalows’ e que o Governo não tem onde alojar.

Governo simplifica emissão de comprovativos do exercício de atividade profissional

A medida Simplex permite a emissão dos certificados necessários para quem pretenda ir trabalhar para um dos 27 Estados-membros da União Europeia, através de uma Mera Comunicação Prévia (MCP), no portal ePortugal (Balcão do Empreendedor).

António Costa desloca-se hoje a Odemira

O primeiro-ministro vai deslocar-se a Odemira, esta terça-feira, para “reunião de trabalho e assinatura de Protocolos tendo em vista dar resposta às necessidades habitacionais verificadas no concelho”.
Comentários