Celeste Hagatong reconduzida na presidência da Cosec até 2022

Na presidência do Conselho de Administração da companhia mantém-se Maria Celeste Hagatong e na presidência da Comissão Executiva permanece Thierry Etheve. Pedro Rebelo de Sousa é o presidente da Mesa da Assembleia Geral.

A Cosec – Companhia de Seguro de Créditos, especializada em seguros de créditos e caução, reuniu a sua Assembleia Geral em 1 de setembro para eleger novos órgãos sociais para o mandato 2020-2022.

Na presidência do Conselho de Administração da companhia mantém-se Maria Celeste Hagatong e na presidência da Comissão Executiva permanece Thierry Etheve.

Para este novo mandato foram eleitos os anteriores administradores não executivos Pedro Silva Fernandes e Paolo Cioni, avança a seguradora em comunicado.

Como membros da Comissão Executiva mantém-se Ana Carvalho, responsável pela na área comercial, marketing e comunicação, tendo sido eleito Placido Furnari para assumir o pelouro de risco, substituindo José Vairinhos que passou à situação de reforma.

Foi eleito para presidir à Assembleia Geral da Cosec, o advogado Pedro Rebelo de Sousa.

O Conselho Fiscal mantém Miguel Gomes da Costa na presidência e integra Isabel Lacerda e José Vairinhos como membros efetivos.

A Cosec é detida em 50% pelo BPI e em 50% pela Euler Hermes, empresa do Grupo Allianz, líder mundial em Seguro de Crédito e especialista em Caução e recuperações de crédito.

Ler mais
Recomendadas

Lucros do Bankinter afundam 50% para 220 milhões

Bankinter justifica recuo nos lucros com a realização de provisões devido à pandemia. Já o Bankinter Portugal viu os resultados antes de impostos recuarem 36% para 33 milhões de euros.

Conselho Geral do Novo Banco aprova hoje redução da administração executiva e continuidade de Ramalho

É hoje que é decidida a renovação do mandato para António Ramalho que se mantém presidente executivo do Novo Banco no próximo mandato de 2021-2024. O Conselho Geral de Supervisão vai reduzir o Conselho de Administração Executivo para seis membros e aprovar o novo plano de negócios.

Tribunal da Concorrência declara prescrição de coimas do BdP a ex-administrador do Montepio

Tribunal da Concorrência declarou a prescrição das contraordenações imputadas pelo supervisor ao ex-administrador do Montepio Rui Amaral, num processo que já teve sentença anulada pelo Tribunal da Relação e que tem novo início agendado para a semana.
Comentários