Centeno: “Vistos gold e o tema ‘Isabel dos Santos’ não são exatamente a mesma coisa”

O ministro das Finanças defendeu que as “autoridades que autorizam os vistos gold devem atuar sempre que necessário”, mas apelou a que não se confundam os temas.

Mário Centeno | Cristina Bernardo

O ministro das Finanças, Mário Centeno, admitiu esta segunda-feira que existe espaço para alterações no mecanismo dos vistos gold, mas apelou a que não se confunda o regime atual com o caso “Isabel dos Santos”.

“É importante que não se confundam os temas. O tema ‘vistos gold’ e o tema ‘Isabel dos Santos’ não são exatamente a mesma coisa”, afirmou Mário Centeno, numa audição na Comissão de Orçamento e Finanças, no Parlamento.

A afirmação do ministro da tutela veio no seguimento de uma questão da deputada do Bloco de Esquerda Mariana Mortágua. “Toda a gente sabia de onde vem a fortuna de Isabel dos Santos”, disse, acrescentando “quer continuar a ser co-responsável por manter este mecanismo [dos vistos gold]?”.

Mário Centeno disse, ainda assim, partilhar “as preocupações em relação aos vistos gold” e que “é evidente que o grau de exigência sobre os vistos gold nos deve preocupar a todos”.

“As autoridades que autorizam os vistos gold devem atuar sempre que necessário. Há espaço e propostas para alterar o tipo de investimento ao qual os vistos gold estão associados”, acrescentou.

Recomendadas

Plano 2020/2030: Parlamento debate hoje Plano de Recuperação e Resiliência

O parlamento debate hoje o Plano de Recuperação e Resiliência, cujas linhas gerais foram apresentadas na segunda-feira aos partidos e mereceram críticas da esquerda à direita, mas as forças políticas mostraram-se disponíveis para dar contributos.

Parlamento discute auditoria da Deloitte ao Novo Banco e alteração das regras de nomeação para Governador do BdP

Entre os 17 pontos em agenda que os deputados da COF vão discutir, quatro estão relacionados com a auditoria que a Deloitte fez aos actos de gestão BES/Novo Banco, estando ainda prevista a discussão e votação na especialidade do projeto-lei do PAN para alterar as regras de nomeação do Governador e membros do conselho de administração do Banco de Portugal.

PS promete combate à extrema-direita e ataca ordens que são “sindicatos disfarçados”

Estas posições foram transmitidas por Ana Catarina Mendes no discurso que encerrou a “jornada de trabalho” do Grupo Parlamentar do PS, no Centro Cultural de Belém, em Lisboa, numa intervenção em que assumiu o compromisso de “tirar do papel” o estatuto do cuidador informal e em que também se interrogou sobre qual vai ser o posicionamento das forças à esquerda do seu partido na atual conjuntura do país.
Comentários