Central de Cervejas investiu 1,4 milhões de euros em energia solar

A instalação de painéis fotovoltaicos nas unidades de Vialonga e da Mealhada permitirão no total uma produção de energia solar de 2.845 MWh/ano e a redução de cerca de 1.200 toneladas/ano em emissões de CO2.

Central de Cervejas

O Grupo Central de Cervejas investiu 1,4 milhões de euros em equipamentos de energias nas suas diversas unidades industriais em Portugal.

A empresa instalou no total 6.300 painéis fotovoltaicos, 3.150 painéis na sua cervejeira de Vialonga e 3.150 na unidade de enchimento da Água de Luso, na Mealhada, “com uma potência instalada de 1 MWp em cada unidade” da SCC – Sociedade Central de Cervejas.

“Esta instalação permitirá no total uma produção de energia solar de 2.845 MWh/ano e a redução de cerca de 1.200 toneladas/ano em emissões de CO2, o equivalente à captação anual de CO2 por 53.000 árvores”, destaca um comunicado da SCC.

A referida nota informativa adianta que a empresa tem em curso um programa de sustentabilidade designado ‘Produzindo um Mundo Melhor’, “o qual agrega seis áreas de foco (proteção dos recursos hídricos; aquisição de matérias-primas de fontes sustentáveis; promoção de um consumo responsável; crescimento com as comunidades e redução das emissões de CO2), onde o grupo considera que pode fazer a diferença e ser uma força sustentável de mudança”.

“A redução do consumo energético e das emissões de CO2, passa por uma aposta em energias renováveis, mas também com indicadores definidos nessa matéria para a área de distribuição, equipamentos de refrigeração e de embalagem”, refere Nuno Pinto de Magalhães, diretor de comunicação e de relações institucionais da SCC.

Segundo o referido comunicado, “a instalação destes painéis fotovoltaicos, fornecidos pela EDP Comercial, é um exemplo dos investimentos que o grupo Central de Cervejas, tem vindo a efetuar nos últimos cinco anos, traduzindo-se em mais de 140 milhões de euros, em projetos de modernização e crescimento, que abarcam expansão, inovação, sustentabilidade e energias alternativas, não só na cervejeira de Vialonga, mas também na Sociedade da Água de Luso e na Novadis distribuição”.

Ler mais
Relacionadas

Central de Cervejas compra Águas Castello

Esta marca de água gaseificada vendeu cerca de cinco milhões de litros em 2018, o que representa uma quota de cerca de 7% em volume do mercado das águas com gás em Portugal, de acordo com os dados da AC Nielsen.

Porto de Lisboa coordena transporte de dois reservatórios para a Central de Cervejas

Com 1.400 litros de volume e 40 toneladas cada um, os reservatórios destinam-se a aumentar a capacidade de produção da fábrica de cerveja de Vialonga da Central de Cervejas.

Central de Cervejas investe oito milhões de euros em linha de enchimento

A nova linha da SCC permite encher 55 mil garrafas de cerveja por hora e poupar qualquer coisa como 266.667 banheiras domésticas de água por ano.

Vendas de cerveja em Portugal cresceram dois dígitos até final de maio

As exportações da Central de Cervejas representam entre 15% e 20% das vendas totais da empresa.

Nuno Pinto Magalhães: a autenticidade é a pressão perfeita

O atual Provedor e Head of Corporate Affairs da Sociedade Central de Cervejas aceitou o desafio de experimentar o novo SUV da Alfa Romeo, o Stelvio.
Recomendadas

Exportações de vinhos portugueses acima dos 580 milhões de euros até setembro

França, Estados Unidos, Reino Unido, Brasil e Alemanha formam o ‘top-5’ dos mercados de destino dos vinhos portugueses nos primeiros nove meses deste ano.

Governo quer que Portugal se mantenha um dos dez maiores exportadores mundiais de vinho

“O sucesso do setor também é visível pela execução do Programa Nacional de Apoio ao setor vitivinícola”, referiu a ministra da Agricultura, Maria do Céu Albuquerque, nas Caldas da Rainha.

ViniPortugal vai apostar em 2020 na Europa, Ásia, EUA, Canadá, Brasil e Angola

Fórum Anual Vinhos de Portugal decorre hoje nas Caldas da Rainha e vai revelar os dados mais recente sobre as exportações dos vinhos portugueses em 2019.
Comentários