Central hidroelétrica inovadora da EDP na Venda Nova ganha prémios internacionais

Central hidroelétrica Frades II, da EDP, foi distinguida com dois prémios internacionais de renome pela tecnologia implementada, inovação, rentabilidade e fiabilidade.

A central hidroeléctrica da EDP, Frades II, na Venda Nova foi distinguida com dois prémios internacionais, tendo vencido o prémio “VGP Quality Award 2018” da Associação Internacional de Produtores de Energia e o prémio “Top Plant 2018″, atribuído pela Power Magazine.

Segundo o site da EDP, o reforço da potência da central hidroeléctrica Frades II ganhou o prémio “VGB Quality Award 2018” que “reconhece projetos de elevada qualidade a nível mundial”. Este prémio, atribuído no passado dia 12 de setembro durante a sessão de abertura do congresso anual da VGB, em Munique, foi concedido à EDP e ao consórcio Voith Hydro e Siemens Portugal, que forneceu os equipamentos.

“O projeto Frades II destaca-se pela elevada potência das máquinas instaladas e pela inovação tecnológica que representam, tratando-se de máquinas assíncronas de velocidade variável”, lê-se na página da internet da EDP. “Esta é a única central da Península Ibérica, e das poucas na Europa, equipada com grupos de velocidade variável” e são “os mais potentes da Europa e dos maiores a nível mundial”.

Também a revista especializada “Power Magazine” atribui à central hidroeléctrica o prémio “Top Plant 2018”, na categoria de renováveis.

Recomendadas

Projeto da Vicaima premiado nos Emirados Árabes Unidos

O projeto sustentável, designado ‘BaityKool Project’, foi recentemente premiado na competição Solar Decathlon Middle East.

Convento do Carmo, em Moura, vai ter uma concessão a privados

Segundo um comunicado do Ministério da Economia, os investidores interessados neste projeto podem apresentar propostas até 16 de abril de 2019.

MIT inventa novo método para armazenar energia e facilitar uso de renováveis

O ‘Sun in a box’ pode ser uma solução para resolver o problema da falibilidade dos sistemas de geração a energias renováveis.
Comentários