PremiumCEO da Ericsson Europa e América Latina: “Tecnologia 5G está seis a nove meses atrasada em Portugal”

Dirigente da Ericsson denunciou atraso no lançamento da tecnologia 5G em Portugal. “Recomendo ao regulador e ao Governo que acelerem os processos”.

O presidente executivo (CEO) da Ericsson Europa e América Latina, Arun Bansal, veio a Portugal para reunir com o CEO da Ericsson Portugal, Luís Silva, juntamente comn clientes locais da tecnológica de origem sueca. A empresa está a preparar mais investimentos no mercado nacional, sobretudo nos centros de competência da Ericsson que a partir de Portugal apoiam as suas operações no resto da Europa e outros mercados na América Latina. O objetivo é aumentar a dimensão dos centros nacionais, a pensar já na quinta geração móvel (5G).

Num encontro na nova sede da Ericsson Portugal, localizada no Parque das Nações, em Lisboa, o Jornal Económico entrevistou Arun Bansal, que revelou estar “muito contente com o desempenho da Ericsson em Portugal”.

Artigo reservado a assinantes do Jornal Económico. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Artigo publicado na edição nº1999 de 26 de julho de 2019, do Jornal Económico.

Recomendadas

Vietname contorna Huawei ao desenvolver tecnologia própria para o 5G

A empresa estatal Viettel, que é operada pelo Ministério da Defesa do Vietname, vai começar a instalar a próxima geração de rede móvel a partir de junho e concluirá a implementação em todo o país no período de um ano.

Central de hidrogénio de Sines implica investimento de 3,5 mil milhões

O projeto visa criar hidrogénio verde em Portugal para ser exportado para os Países Baixos. Construção poderá arrancar em meados de 2021.

Matosinhos chama empreendedores do mar para “inverter ciclos negativos” da economia azul

O programa BluAct é apresentado esta segunda-feira em Matosinhos, cidade que representa Portugal a nível europeu. “Há cerca de 200 investigadores a trabalhar no centro tecnológico CIIMAR que, em muitos casos, têm ideias que não avançam por não terem estímulos suficientes”, disse António Correia Pinto, vereador do Ambiente da Câmara Municipal, ao Jornal Económico.
Comentários