PremiumCEO da Peugeot: “Fábrica em Mangualde faz um trabalho extraordinário”

O responsável executivo da Peugeot elogiou o trabalho da fábrica de Mangualde, admitindo que será mantida no futuro, sem alterações. Diz que o diesel não acaba e prevê o ‘boom’ elétrico.

“Aterrei no Porto e passei lá um belo dia. Fui a Vigo e voltei ao Porto para assistir ao lançamento do novo 2008. Foi um bom momento”, diz Jean-Philippe Imparato, CEO da Peugeot, quebrando o ‘gelo’ antes de iniciar a entrevista ao Jornal Económico (JE). Considera esse novo modelo um carro “sympa”? – foi a questão prévia do JE ao CEO da Peugeot. “É super cool e todos estamos muito entusiasmados com este carro” – eis a resposta, antes de arrancar a entrevista formal por teleconferência. O JE esteve nas instalações da Peugeot em Sacavém. E o CEO esteve na sede da Peugeot, em Rueil Malmaison, perto de Paris. Falou sobre a fábrica de Mangualde, reconhecendo que o seu trabalho é “extraordinário”. Sobre o diesel, nega que a indústria tencione descontinuar estes motores. E sobre os elétricos, diz que não continuam caros porque as rendas de leasing já estão ao mesmo nível dos restantes veículos.

Como explica o crescimento da Peugeot na última década?
É interessante constatar que o crescimento registado nos últimos dez anos pela Peugeot a nível global foi replicado no mercado português, embora em Portugal a marca tenha estado mais vezes em alta na evolução da quota de mercado e no volume de viaturas vendidas. Em termos gerais, isso deve-se às caraterísticas do produto. Na análise da nossa performance durante esta década em segundo lugar fica, certamente, a melhoria da qualidade intrínseca do produto e do nosso serviço.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Covid-19: ‘Chef’ Vítor Sobral vai “acender uma velinha a Nossa Senhora de Fátima” para pagar salários

O Grupo Quina emprega cerca de 120 funcionários. Dois restaurantes foram encerrados, outros dois estão a funcionar em regime de ‘take away’, assim como as padarias. Vítor Sobral garante salários neste mês de março, mas não sabe como será no mês de abril.

Novo Banco vende “Rei dos Cogumelos” em plena crise

O Novo Banco, maior credor do grupo Sousacamp, com 49% dos créditos, acordou a venda do maior produtor ibérico de cogumelos ao Core Capital.

Covid-19: Kaeser garante assistência a equipamentos de ar comprimido de hospitais e da indústria

Além de cerca de três mil empresas do setor industrial, em Portugal a Kaeser trabalha com hospitais como o Grupo Trofa Saúde, Hospital Santo António, Hospital de Braga, Hospital de Santa Maria, Hospital de Gaia, Hospitais de Coimbra, Hospitais Lusíadas e Fundação Champalimaud.
Comentários