CEO da TAP avisa que Bruxelas vai ser “extremamente dura” com a companhia aérea

Antonoaldo Neves avisou que as condições exigidas pela Comissão Europeia vão ser muito “duras” para a companhia aérea e que deverão levar ao corte de rotas, como aconteceu em outras empresas, alertou.

Tiago Petinga/Lusa

O presidente da comissão executiva da TAP avisou hoje que Bruxelas vai adotar uma postura “dura” com a empresa.

“Eu não espero nada menos de que uma Comissão Europeia extremamente dura com a TAP, preferia que fosse diferente”, afirmou hoje Antonoaldo Neves no Parlamento, apontando para outras companhias aéreas que foram obrigadas a cortar muitas rotas por Bruxelas.

“Todas as companhias europeias tiveram ajuda em forma de divida garantida. Não pedimos dinheiro ao Tesouro português”

“Pedimos ao governo português garantias para pegarmos empréstimo com os bancos privados”, afirmou, referindo-se à carta enviada pela comissão executiva da TAP ao Governo a 19 de março. “Conseguimos empréstimos com maturidades de cinco a sete anos”, apontou.

O presidente executivo da empresa criticou na sua audição parlamentar a decisão tomada pela Comissão Europeia de não conceder ajudas à companhia aérea no âmbito do pacote de apoios aprovados em Bruxelas para mitigar os impactos negativos da Covid-19 para o setor da aviação.

Na decisão anunciada a 10 de junho, a Comissão Europeia decidiu que “a TAP não é elegível para receber apoio ao abrigo do Quadro temporário da Comissão relativo aos auxílios estatais, destinado a apoiar empresas que de outro modo seriam viáveis”. No entanto, deu luz verde ao Estado português para realizar um empréstimo até 1.200 milhões de euros à companhia aérea.

O presidente executivo da TAP está hoje a ser ouvido na comissão parlamentar de Economia, Inovação, Obras Públicas e Habitação, por requerimento do PS e do PSD.

Esta decisão autoriza o Governo português a conceder o empréstimo sujeito a um reembolso ou a apresentação de um plano de reestruturação ao fim de seis meses.

 

“Injusta”. CEO da TAP critica decisão tomada pela Comissão Europeia

Ler mais
Relacionadas

“Injusta”. CEO da TAP critica decisão tomada pela Comissão Europeia

Bruxelas deu luz verde ao Governo português para injetar até 1.200 milhões de euros na TAP, mas não autorizou ajudas à empresa no âmbito dos apoios aprovados para o setor aéreo da aviação.

Antonoaldo Neves. “Obviamente que a TAP precisa de auxílios de Estado”

O presidente executivo da companhia aérea está hoje a ser ouvido no Parlamento sobre o plano de rotas e o resgate financeiro da TAP.
Recomendadas

“Sobreviver a Pão e Água”. “Centenas” de membros do movimento dispostos a regressar à greve de fome se Governo não aprovar medidas exigidas

Movimento diz que Governo disse que iria apresentar em breve várias das medidas por si exigidas. Se até dia 11 de dezembro, não apresentar as restantes medidas ameaçam que com o regresso à greve de fome em frente ao Parlamento e por todo o país, com “mais de uma centena de pessoas”.

Sindicato denuncia que Ryanair se prepara para despedir 23 tripulantes no Porto enquanto abre processo de recrutamento

O SNPVAC denuncia que, ao mesmo tempo que a companhia aérea avança para o despedimento coletivo, já está a realizar cursos para novos tripulantes “violando grosseiramente o Código de Trabalho”, segundo o sindicato.

Costa adia anúncio de medidas de apoio para as rendas do comércio e da restauração

A 21 de novembro, o primeiro-ministro anunciou que as medidas de apoio para as rendas de lojas e restaurantes seria anunciada nos dias seguintes. Passados 15 dias, o Governo ainda não anunciou os apoios e adiou para a próxima semana.
Comentários