CGD não fez um rebranding… mas “um lifting” à marca

O banco admite que as agências vão ter um “lift” (rejuvenescimento) de imagem para ficarem mais modernas. A primeira a “beneficiar” da nova imagem é a agência do Lumiar que hoje contou com a vista de Paulo Macedo, CEO do banco.

Foto Cedida

O azul está mais azul e aparece combinado com o cor de laranja e com o amarelo. O banco liderado por Paulo Macedo recuperou o lettering da CGD do passado, parece mesmo um rebranding da marca, mas fonte oficial da CGD diz que “não há nenhum rebranding, há uma agência mais arejada, com mais cor, com uma disposição física mais ágil para servir os clientes”.

O banco admite que as agências vão ter um “lift” (rejuvenescimento) de imagem para ficarem mais modernas. A primeira a “beneficiar” da nova imagem é a agência do Lumiar que hoje contou com a vista de Paulo Macedo, CEO do banco.

A agência do Lumiar inaugura o novo modelo de atendimento ao cliente. No interior do balcão haverá ecrãs gigantes onde os clientes poderão consultar preçários dos serviços em formato digital ou fazer simulações de créditos.

A CGD fez uma espécie de Feng Shui na decoração dos balcões, que é como quem diz, mudou os móveis de sítio de modo a criar um ambiente ficar mais harmonioso para os clientes.

O banco prefere chamar-lhe “operativa mais ágil e rápida com tecnologia e um layout onde todos os empregados estão virados fisicamente para os clientes”.

Recomendadas

PremiumBCP lidera em volume de ativos por impostos diferidos protegidos pelo Estado

Perduram no balanço dos bancos 3,8 mil milhões de euros de ativos por impostos diferidos elegíveis para capital por serem protegidos pelo Estado ao abrigo do regime especial. O BCP tem 2 mil milhões.

Caixa Geral de Depósitos espera propostas vinculativas por banco no Brasil no quarto trimestre

Esta quinta-feira, o Governo aprovou em Conselho de Ministros uma resolução que seleciona os potenciais investidores que serão convidados a apresentar proposta vinculativa pela instituição brasileira, detida pela Caixa.

PremiumFundo de Resolução terá de ceder ao Estado parte dos 25% que detém no Novo Banco

Venda do Novo Banco à Lone Star estipula que entrada do Estado no capital por força do regime especial dos DTA só dilui o Fundo de Resolução.
Comentários