Chairman da TAP anuncia reabertura de mais rotas para o Porto e diz que ficou “surpreendido” com providência cautelar

Rota Porto-Nova Iorque foi antecipada de agosto para julho, com as rotas para Milão e Zurique a serem reabertas em agosto. Já a rota para Amesterdão arranca em setembro.

Cristina Bernardo

O presidente do Conselho de Administração (CA) da TAP disse hoje estar “surpreendido” com a providência cautelar da Associação Comercial do Porto (ACP) para tentar travar a injeção do Governo de 1.200 milhões de euros na companhia aérea.

“Fiquei surpreendido com esta iniciativa da Associação Comercial do Porto”, disse hoje Miguel Frasquilho no Parlamento.

O chairman avançou que depois de ser conhecido o polémico plano de retoma das rotas da TAP, que foi criticado por vários atores da região norte por ter muito mais voos para Lisboa, a companhia aérea teve várias reuniões com “parceiros do norte do pais” de vários setores, incluindo com a Associação Comercial do Porto que “esteve nessas reuniões”.

“Se houve mensagem que foi passada nessas reuniões foi que o CA da TAP se iria esforçar numa logica sustentável, iria repor os níveis de atividade pré-Covid”, avançou na comissão parlamentar de economia.

O Supremo Tribunal Administrativo decidiu na terça-feira aceitar “liminarmente” a providência cautelar colocada pela Associação Comercial do Porto e que paralisa temporariamente a injeção de capital por parte do Estado na companhia aérea portuguesa TAP, conformou avançou o jornal Expresso na terça-feira.

Miguel Frasquilho anunciou que a partir de agosto a proporção de destinos servidos a partir do Porto face a Lisboa vai ter uma “proporção semelhante” ao que existia antes da pandemia Covid-19.

Antes disso, anunciou a rota Porto-Nova Iorque que foi antecipada de agosto para julho, com as rotas para Milão e Zurique a serem reabertas em agosto. Já a rota para Amesterdão arranca em setembro.

O presidente do CA da TAP foi ouvido na quarta-feira na comissão parlamentar de Economia, Inovação, Obras Públicas e Habitação. Na terça-feira foi ouvido o presidente da Comissão Executiva da TAP, Antonoaldo Neves.

Relacionadas

Presidente do PS: “Ou temos um financiamento rapidamente ou ficamos sem TAP”

Carlos César criticou a Associação Comercial do Porto pela ação judicial contra a injeção de liquidez. “Alguma entidade representativa dos empresários portugueses tomará a responsabilidade de fechar a transportadora aérea nacional?”, questionou.

Comissão Executiva da TAP diz que está a analisar “com muita atenção” contrato para empréstimo estatal de 1.200 milhões

Antonoaldo Neves diz que comissão executiva tem estado a dar resposta rapidamente a todas as questões levantadas pelo grupo de trabalho. Presidente executivo da TAP deixou críticas no Parlamento à Comissão Europeia e alertou que Bruxelas vai ser “extremamente dura” com a companhia aérea.

TAP aumentou em 50% número de passageiros no Porto desde 2015

Depois das críticas feitas pelo autarca do Porto, a companhia aérea disse que tem apostado nos voos para a invicta nos últimos anos. Sem contar com o efeito da ponte aérea, o número de passageiros da TAP no aeroporto Sá Carneiro aumentou em 30%.

Antonoaldo Neves: Negociações para a compra da TAP estavam “muito avançadas”

O gestor apontou que chegou a ser estabelecido um preço e que as negociações duravam há meses. No final de fevereiro foi noticiado que a alemã Lufthansa e a norte-americana United Airlines estavam interessadas em entrar no capital da companhia aérea portuguesa.
Recomendadas

Governo garante verbas de apoio aos transportes coletivos da Área Metropolitana do Porto

Apesar de o prazo para apresentação dos relatórios relativos ao segundo trimestre de 2021 ter terminado a 31 de julho, O Ministério do Ambiente garante que as Áreas Metropolitanas e Comunidades Intermunicipais que pretendam proceder à retificação ou alteração dos pedidos já formulados poderão ainda fazê-lo até ao dia 15 de agosto.

SATA é a única concorrente à concessão das rotas interilhas nos Açores

Caberá ao júri analisar a proposta apresentada pela SATA e submeter ao secretário Regional dos Transportes, Turismo e Energia, Mário Mota Borges, um “relatório fundamentado para efeitos de adjudicação”.

Groundforce diz que TAP lhe deve 2,5 milhões por voos noturnos. Companhia aérea discorda

Entre julho de 2017 e dezembro de 2018, a empresa diz ter faturado à TAP o valor total de 1.446.706,29 euros, pelas assistências de voos que não estavam previstos em horário de ‘night curfew’ e que acabaram por ser assistidos naquele período.
Comentários