Chega acusa China de “negligência” na disseminação internacional do novo coronavírus

O deputado único do Chega, André Ventura, considera que a “tentativa de ocultação” por parte do Governo chinês da propagação da Covid-19 tornou-se numa “arma poderosa” na disseminação do vírus, cujas consequências estão ainda por calcular.

O Chega apresentou esta quarta-feira um voto de condenação pela “negligência do regime comunista chinês da disseminação internacional” do novo coronavírus (Covid-19). O deputado único do Chega, André Ventura, considera que a “tentativa de ocultação” por parte do Governo chinês da propagação da Covid-19 tornou-se numa “arma poderosa” na disseminação do vírus, cujas consequências estão ainda por calcular.

“Sabemos hoje que a tentativa de ocultação, por parte do regime ditatorial chinês, da propagação do vírus em Wuhan, província de Hubei, bem como da mortalidade a que estava associado, dificultaram não apenas o trabalho de diagnóstico e prevenção comunidade médica e científica, como a preparação da comunidade internacional para lidar com o vírus”, lê-se no voto de condenação entregue na Assembleia da República,

André Ventura considera que a “persistente obsessão” do Governo chinês em controlar os meios de comunicação social, bem como em reprimir liberdades e garantias e “dificultar tudo o que represente fluxos de informação para o exterior”, tornou-se “na arma mais poderosa na disseminação do novo coronavírus, com consequências que ainda hoje não são possíveis de vislumbrar ou mensurar”.

O Chega considera que “a comunidade internacional deve agora focar-se, primeiramente, em salvar vidas e evitar o colapso dos seus sistemas de saúde”. O partido defende, no entanto, que “não pode deixar de investigar a extensão da responsabilidade do regime chinês” na origem e disseminação da “tragédia pandémica” que o mundo enfrenta.

O novo coronavírus já infetou mais 480 mil pessoas em todo o mundo, das quais perto de 22.000 morreram. O surto da Covid-19 surgir na China, em dezembro, e espalhou-se por todo o mundo. No continente europeu, já há cerca de 260.000 infetados, sendo a Itália o país do mundo com mais vítimas mortais (7.503 em 74.386 casos registados)

Recomendadas

Empresa portuguesa desenvolve equipamento para criar quartos de pressão negativa

Tecnologia permite transformar quartos convencionais em quartos de pressão negativa para tratar doentes infectocontagiosos, bem como fazer a purificação do ar eliminando assim os vírus e bactérias e prevenindo a contaminação.

Santander Totta vai passar a pagar aos fornecedores a pronto pagamento

“Esta medida reforça o conjunto de outras que o Santander tem vindo a implementar para apoiar a economia e minimizar os impactos negativos provocados pela Covid-19, com especial foco na tesouraria e liquidez dos seus clientes”, referiu o Santander Totta.

Itália regista 760 óbitos nas últimas 24 horas e um aumento ligeiro no número de casos confirmados

As autoridades de saúde italianas reportaram no relatório desta quinta-feira mais 760 mortes nas últimas 24 horas, mais 33 vítimas mortais do que ontem.
Comentários