China anuncia mecanismo para restringir atividade de empresas estrangeiras

A lista vai incluir as empresas cujas atividades “causem dano à soberania nacional da China e aos seus interesses em matéria de segurança e de desenvolvimento” ou que violem “as regras económicas e comerciais internacionalmente aceites”.

O Governo chinês anunciou a criação de um mecanismo para restringir a atividades de empresas estrangeiras, uma medida que está a ser vista como uma represália contra os Estados Unidos.

O anúncio do Ministério do Comércio chinês, efetuado no meio da crescente tensão entre Pequim e Washington, não identificou qualquer empresa estrangeira.

De um modo geral, menciona uma série de situações que podem colocar as empresas numa futura “lista de entidades não fiáveis”, passíveis de multas, restrição de atividades ou entrada de material e de pessoal na China.

Esta lista incluirá as empresas cujas atividades “causem dano à soberania nacional da China e aos seus interesses em matéria de segurança e de desenvolvimento” ou que violem “as regras económicas e comerciais internacionalmente aceites”, de acordo com o Ministério.

Este anúncio surgiu depois de os Estados Unidos terem proibido o descarregamento, a partir de domingo, das aplicações TikTok e WeChat dos gigantes chineses ByteDance e Tencent, respetivamente.

Em comunicado, o Ministério do Comércio chinês acusou hoje Washington de intimidação ao proibirem o descarregamento, da TikTok e da WeChat, e ameaçou retaliar.

“Se os Estados Unidos persistirem nas suas ações unilaterais, a China tomará as medidas necessárias para proteger de forma resoluta os direitos e os legítimos interesses das empresas chinesas”, de acordo com a nota.

As tensões entre os Estados Unidos e a China estão a aumentar, desde agosto, quando o Presidente norte-americano, Donald Trump, em campanha eleitoral para a reeleição, apresentou um ultimato à TikTok, que acusou de espionagem industrial a favor de Pequim, sem ter divulgado quaisquer provas.

O gigante das telecomunicações chinês está também numa “lista negra” norte-americana para a impedir de adquirir tecnologias dos Estados Unidos indispensáveis aos telemóveis que produz. Washington estão também a pressionar a Europa para que exclua a Huawei das futuas redes de telecomunicaçoes móveis de quinta geração (5G).

Ler mais
Relacionadas

Fluxos de investimento EUA-China em mínimos semestrais de nove anos

Envolvidos numa guerra comercial e num contexto pandémico que abrandou as trocas internacionais e a economia mundial, EUA e China registam os valores mais baixos dos últimos nove anos de investimento em cada um dos países.

Partido comunista chinês exige lealdade ao setor privado à medida que a pressão externa aumenta

Citando riscos crescentes, valores e interesses diversificados entre os empresários, o partido emitiu diretrizes na noite de terça-feira, dia 16 de setembro, onde aconselha as empresas privadas sobre como se devem posicionar politicamente.
Recomendadas

Alphabet com lucros de 11,25 mil milhões de dólares num terceiro trimestre em que receitas voltaram a crescer

Vindos do primeiro trimestre com uma diminuição de receitas na história da companhia, a empresa-mãe da Google volta agora em força, em parte empurrada pelas verbas associadas à publicidade.

Facebook aumenta lucro no terceiro trimestre impulsionado pela publicidade

A rede social também revela que conseguiu diminuir para metade as despesas relacionadas com “geral e administração”, em grande parte devido ao encerramento de escritórios um pouco por todo o mundo, acompanhando a tendência do teletrabalho.

Amazon com lucros 6,3 mil milhões de dólares, acima das previsões dos analistas

A empresa do homem mais rico do mundo conseguiu lucros e receitas acima das projeções dos analistas, sendo que, para o último trimestre do ano, a empresa antecipa resultados ainda mais fortes, naquela que é uma das maiores ganhadoras na pandemia.
Comentários