China estuda criação de fórum sino-lusófono de cooperação e prevenção de epidemias

A ideia é reforçar a cooperação na área da saúde e prevenção de epidemias entre Pequim e os países de língua portuguesa. A Região Administrativa Especial de Macau terá uma papel preponderante nessa articulação.

A China está a estudar a criação de um fórum sino-lusófono de cooperação e prevenção de epidemias, anunciou esta quinta-feira o porta-voz do Ministério do Comércio chinês. A ideia é reforçar “a cooperação na área da saúde e prevenção de epidemias entre a China e os países de língua portuguesa”, explicou o porta-voz na conferência de imprensa regular do ministério.

Por outro lado, Pequim vai procurar promover as exportações na área da alimentação dos países lusófonos para a China, acrescentou.

O mesmo porta-voz salientou o papel da Região Administrativa Especial de Macau na articulação com os países de língua portuguesa durante a pandemia, em especial através do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa.

Durante a pandemia, a China tem enviado medicação e equipamento para os países lusófonos, com os quais também promoveu formação e partilha de experiências sobre tratamento e prevenção relacionada com o novo coronavírus, com equipas no terreno e conferências ‘online’.

A China estabeleceu a região administrativa Especial de Macau como plataforma para a cooperação económica e comercial com os países de língua portuguesa em 2003, ano em que criou o Fórum de Macau.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de um milhão e oitenta e sete mil mortos e mais de 38,2 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência de notícias France-Presse. Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Ler mais
Recomendadas

Cabo-verdiano faz pranchas de surf em Portugal e quer dinamizar desporto no arquipélago

Joselito contou à agência Lusa que trabalhava em oficinas, bate chapas, mecânica e pintura, antes de vir para Portugal, em 2012. A destreza com as mãos deu-lhe jeito no seu primeiro emprego, numa fábrica de pranchas.

Cabo Verde regista menor número de infeções em 35 dias

O arquipélago africano contabilizou mais 28 casos positivos de Covid-19 nas últimas 24 horas.

Empresário italiano eleito na ilha cabo-verdiana da Boa Vista

Sérgio Corrá, de 59 anos e radicado desde 1997 na ilha cabo-verdiana da Boa Vista, fez história ao ser eleito deputado à assembleia municipal local, liderando a lista do Partido Popular.
Comentários