China responde aos EUA e anuncia tarifas adicionais a importações de produtos norte-americanos

Esta é a resposta do Governo chinês à implementação de tarifas por parte dos EUA sobre a importação de produtos chineses e que poderão chegar a um valor de 180 milhões de euros.

Presidente chinês, Xi Jinping, e governante norte-americano, Donald Trump, conversam durante evento em Pequim, em 2017 | REUTERS/Thomas Peter

A partir de 1 de junho, 2.493 de bens importados dos EUA pela China vão pagar uma taxa de 25% num valor estimado de 53 mil milhões de euros, de acordo com informação divulgada esta segunda-feira através do ministro das finanças chinês e citada pela ‘Bloomberg’.

Esta é a resposta do Governo chinês à implementação de tarifas por parte dos EUA sobre a importação de produtos chineses e que poderão chegar a um valor de 180 milhões de euros.

As tarifas, que vão ter efeito a partir de 1 de junho, irão refletir-se em alguns bens que já constavam de uma lista que remonta a 2018.

Na semana passada, Donald Trump prometeu não recuar na imposição de novas tarifas sobre as importações chinesas, a menos que Pequim “pare de trair os nossos trabalhadores”, numa altura em que uma delegação chinesa inicia conversações em Washington esta quinta e sexta-feira para tentar salvar o acordo comercial.

A China ameaçou retaliar se as tarifas sobre os produtos chineses no valor de 180 mil milhões de euros aumentarem para 25% na passada sexta-feira, reacendendo as preocupações com a desaceleração económica global.

Relacionadas

Já viu o “Mercados em Ação” desta semana? Guerra comercial e projeções económicas em debate

Shrikesh Laxmidas (Diretor Adjunto do JE) e Marco Silva (consultor de estratégia e investimento), abordam temas como a guerra comercial entre os EUA e a China, as projeções económicas da Comissão Europeia e a época de resultados das cotadas.
Guerra Comercial EUA-China

China promete retaliar caso Estados Unidos subam tarifas sobre produtos chineses

O ministério chinês do Comércio disse esta quinta-feira que vai retaliar caso Washington suba as taxas alfandegárias sobre bens importados da China, na véspera de uma ronda negocial decisiva para pôr fim à guerra comercial entre os dois países.
Recomendadas

PremiumConsumidores estão a mudar a produção

Cerealis, Grupo Primor, Novarroz e Tété faturam em conjunto cerca de 380 milhões de euros por ano e têm uma presença diversificada em mercados externos. Mas o segredo do negócio passa pela inovação.
greve_motoristas_materias_perigosas_camionistas

Dez horas de negociações não foram suficientes. Motoristas e patrões falham acordo e greve mantém-se

“Trabalhámos em conjunto com o senhor ministro uma proposta que seria razoável para desbloquear a situação. A Antram rejeitou a proposta e a greve mantém-se”, afirmou à agência Lusa o representante do SNMMP, Pedro Pardal Henriques, no final da reunião.

Novas tarifas de Trump terão impacto de 1% no comércio internacional em 2020

A AP Moller-Maersk, empresa que realiza cerca de 20% do comércio marítimo mundial, estima que as tarifas já impostas pelos Estados Unidos tenham minado o comércio mundial em 0,5% este ano, e antecipa que o cenário piore em 2020.
Comentários