Ciência de Dados em todas as licenciaturas do ISCTE

Hoje em dia, esta linguagem é quase tão importante como o inglês e vai ser introduzida em todas as licenciaturas desta instituição.

Vivemos na era dos dados. As empresas e os serviços públicos armazenam cada vez mais dados. É preciso olhar para eles, trabalhá-los e produzir resultados que permitam apoiar as decisões de gestão. A necessidade de recursos humanos qualificados nesta área do conhecimento não vai parar de crescer.

Por tudo isto e muito mais, os dados são uma linguagem onde urge, aprender a dominar pelo menos o “a, e, i, o, u”.
Atento, o ISCTE-IUL, instituição, caracterizada pelo pioneirismo, volta a surpreender no panorama académico ao introduzi-los como uma nova unidade curricular em todas as suas 17 licenciaturas.

Este trunfo permite que todos os alunos que entrem no ISCTE-IUL já no ano 2019/2020, seja qual for o curso que escolherem, têm à partida uma certeza: vão descobrir o universo dos dados.

A disciplina de Introdução à Ciência de Dados integra o plano curricular do último ano da licenciatura e vai ser lecionada numa base multidisciplinar, sendo adaptada às escolas de Sociologia e Políticas Públicas, de Gestão, de Ciências Sociais e Humanas e de Tecnologias e Arquitetura.

“O ISCTE está organizado por escolas e departamentos que cooperam entre si, o que permite que os casos sejam adaptados às respetivas áreas de conhecimento em cada escola”, afirma Jorge Costa, vice-reitor do ISCTE-IUL, ao Educação Internacional. No curso de Gestão, por exemplo, um dos mais procurados do país, “serão reforçados os conteúdos que tratam dos sistemas de informação de apoio à decisão”. No caso das Ciências Humanas, uma das matrizes da instituição, “os conteúdos terão focos diferentes no tratamento dos dados”.

“Temos os conhecimentos científicos e os professores que nos permitem entrar nesta nova área do conhecimento”, destaca o vice-reitor.

O desafio da transformação digital marca, assim, toda a oferta curricular do ISCTE no ano letivo que aí vem. “A Ciência de Dados posiciona-se como uma ferramenta transversal a todas as áreas do conhecimento, tal como hoje é o inglês”, afirma Jorge Costa. E explica: “A aplicação da Ciência de Dados vai ser decisiva em tudo o que se relaciona com a gestão, mas também com as engenharias, o jornalismo ou a medicina – seja na identificação de aspetos clínicos, seja na identificação de padrões na aplicação dos medicamentos”.

Ler mais
Recomendadas

Demografia dita sangria de alunos, professores e escolas

Em dez anos, Portugal perdeu 400 mil alunos da creche ao secundário. Corpo docente reduziu e envelheceu e parque escolar diminuiu significativamente.

Católica é a primeira lusa em ‘ranking’ mundial

Pela primeira vez uma universidade privada obtém a melhor classificação entre as instituições de ensino superior nacionais.

Jovens ‘cientistas’ de secundária de Aveiro vencem ouro em Macau

Competição com mais de três décadas leva à China jovens cientistas de todo o mundo.
Comentários