PremiumCigarros eletrónicos: Startup americana JUUL entra no mercado nacional

Empresa anuncia venda de produtos em Portugal a partir de outubro, com uma rede de quatro mil pontos de venda. Mercado nacional alternativo aos cigarros tradicionais vale 115 milhões por ano.

A JUUL, startup privada norte-americana que comercializa cigarros eletrónicos anunciou ontem a entrada no mercado nacional, numa semana marcada pela polémica em torno dos cigarros eletrónicos. A Sociedade Portuguesa de Pneumologia alertou os consumidores nacionais para não consumirem este tipo de produtos, na sequência de diversas entidades norte-americanas terem reportado mortes de consumidores destes cigarros eletrónicos, alegadamente por malefícios provocados por este tipo de produtos.

“O JUUL foi criado com a missão de ser uma alternativa para os mil milhões de fumadores adultos em todo o mundo. O JUUL não contém tabaco nem gera combustão e, portanto, não produz monóxido de carbono ou qualquer um dos mais de sete mil componentes nocivos presentes no tabaco. O JUUL contém nicotina, uma substância viciante, mas que não está associada aos múltiplos problemas de saúde causados pelos cigarros”, defende Nélson Patrício, diretor geral da JUUL LABS Portugal, em declarações ao Jornal Económico.

“Sendo o tabagismo o maior problema de saúde pública e a principal causa de morte evitável no mundo, muitas organizações na área da saúde apoiam o vaping [cigarros eletrónicos que se caracterizam por libertarem muito fumo, ou vapor] como uma alternativa ao tabaco, como por exemplo a Public Health England ou a American Cancer Society“, justifica este responsável.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Recomendadas

Diretor executivo de tecnologia da Microsoft escolhido por Siza Vieira para a Transição Digital

O gestor da Microsoft Portugal foi o nome escolhido pelo ministro Pedro Siza Vieira para ocupar a nova secretaria de Estado, que terá como função dar à tecnologia um papel ativo na simplificação de processos.

Cerca de 60 pessoas em protesto contra o fecho dos CTT no Monte de Caparica

Cerca de 60 pessoas protestaram hoje contra o fecho do único posto de correios no Monte de Caparica, em Almada, no distrito de Setúbal, afirmando que vão “lutar até ao fim” para que permaneça na freguesia.

A senhora que se segue no Turismo é Rita Marques, atual CEO da Portugal Ventures

Rita Marques lidera a Portugal Ventures, entidade que resultou da fusão de três Sociedades de Capital de Risco em Portugal – AICEP Capital, InovCapital e Turismo Capital.
Comentários