Cinco dicas para reduzir despesas e aumentar a poupança

Rever o valor do crédito à habitação, ou juntar todos os créditos pessoais, são algumas das dicas que podem ser seguidas.

Como reduzir a despesa e aumentar a poupança? Este é um grande dilema para boa parte dos portugueses, pois o orçamento familiar não estica, particularmente agora com o fim das moratórias.

Seguindo estas dicas pode conseguir ter mais euros no bolso no fim do mês, elaboradas pelo Doutor Finanças, empresa especializada em finanças pessoais e familiares.

“Com a pandemia que ainda se faz sentir no nosso país, muitas famílias e até mesmo, empresas, passaram por diversas dificuldades económicas e financeiras. O Governo, não ficando indiferente a este cenário, aprovou a figura das moratórias de crédito, que acabou por aliviar muitas carteiras, pelo menos no imediato, uma vez que permitiu reduzir os encargos mensais. Contudo, a realidade é que agora, com o final das moratórias, muitas pessoas estão a deparar-se com dificuldades em reequilibrar as suas finanças”, disse em comunicado Rui Bairrada, CEO do Doutor Finanças.

Rever as despesas maiores

Analisar as despesas mais avultadas: qual o rendimento disponível para pagar somente créditos?; quais as condições?; quantos empréstimos temos a decorrer? Todas estas questões têm de ser respondidas para que se possa avaliar a nossa atuação.

Rever o valor do Crédito Habitação

No que toca ao crédito habitação, podemos também revê-lo para que fiquemos a pagar uma prestação mensal menor, mesmo que estejamos a recorrer à moratória. O essencial é que o façamos antes de ter qualquer tipo de problema. Se temos um crédito habitação há, pelo menos, dois anos podemos renegociar as suas condições já que, por exemplo, o spread que temos associado ao nosso contrato pode já não estar atual. Neste momento, já há bancos a oferecer um spread mínimo inferior a 1%, e as taxas de juro médias rondam os 0,82%, de acordo com os últimos dados do Banco de Portugal, referentes a abril. Se, após contactarmos o nosso banco e renegociarmos as condições do nosso crédito habitação não ficarmos satisfeitos, o Doutor Finanças recomenda avaliar outras opções, sendo que podemos transferir o nosso crédito para outro banco que apresente melhores condições.

Rever os créditos pessoais e juntar todos os créditos, se possível

É importante avaliarmos a quantidade de créditos que temos a decorrer e perceber o que podemos fazer para reduzir o encargo associado. Em média, os portugueses têm sete créditos, incluindo crédito habitação, crédito automóvel, cartões de crédito, cartões de fidelização e créditos pessoais. Uma das soluções que as famílias têm à sua disposição é a consolidação de crédito e é importante conhecer as suas vantagens e desvantagens. Em causa está um crédito pessoal que é usado para terminar todos os outros créditos, ficando apenas com um. Ao consolidarmos os vários créditos que temos passamos a pagar apenas uma prestação e podemos poupar face aos encargos que tínhamos antes de ponderar esta solução.

Analisar seguros

Muitas vezes, o seguro de vida e o seguro multirriscos que estão associados ao crédito habitação, são contratados junto da mesma entidade onde é contratado o crédito. Podemos rever os seguros para criar poupança, seja junto da instituição com a qual os subscrevemos inicialmente, seja mudando de seguradora. Se a seguradora onde temos os seguros não tem as melhores condições, podemos recorrer a quem nos oferecer as melhores condições.

Rever contratos de serviços

No caso da Energia, atualmente, existem diversos pacotes que juntam a conta da luz e gás numa só a preços que podem compensar. Tudo depende das condições dos pacotes. Para percebermos melhor aquilo que se paga em média por agregado familiar, a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) disponibiliza um simulador de eletricidade. Recorrer a simuladores é uma dica do especialista, no sentido de comparar as várias tarifas atuais com as condições que cada pacote oferece. No caso das telecomunicações e da subscrição de serviços o discurso é igual, sendo que nestes casos devemos reavaliar se precisamos realmente de todos os serviços que temos.

Recomendadas

Novas regras do teletrabalho entram em vigor a 1 de janeiro (com áudio)

Entre as medidas impostas pela lei está o dever de o empregador se abster de contactar o trabalhador fora do seu horário de trabalho, ou seja, no período de descanso. 

Em Janeiro, a garantia de compra de bens passa de dois para três anos

O prazo de garantia atualmente de 2 anos na compra de produtos, passará em janeiro para 3 anos, no entanto, caso surja algum defeito no terceiro ano, terá de ser o consumidor a provar que tal defeito já existia no momento em que o bem lhe foi entregue.

Sodexo reembolsa mais de 325 mil euros em cartão refeição com IVAucher

A Sodexo Portugal é a única empresa de benefícios extrassalariais aderente ao programa IVAucher.
Comentários