Claude Berda da Vanguard Properties já tem nacionalidade portuguesa

Segundo um comunicado Claude Berda foi notificado pela Conservatória dos Registos Centrais da conclusão do processo de nacionalização, “com sucesso”.

Claude Berda e José Cardoso Botelho da Vanguard Properties
Claude Berda e José Cardoso Botelho da Vanguard Properties

Claude Berda, da Vanguard Properties, um os maiores promotores imobiliários do mercado português, e que comprou a Herdade da Comporta já tem nacionalidade portuguesa.

O empresário  francês e presidente do conselho de administração da Vanguard Properties obteve a nacionalidade portuguesa este mês.

Segundo um comunicado foi notificado pela Conservatória dos Registos Centrais da conclusão do processo de nacionalização, “com sucesso”.

“É com uma enorme alegria que vejo este meu sonho de ser português ser realizado. Admiro este país desde há muitos anos, tenho uma grande paixão por Portugal e pelos portugueses e considero que este país tem um grande potencial, na vertente imobiliária, mas também noutros setores, alguns dos quais onde já investimos. Portugal é agora a minha nova casa onde pretendo reforçar a minha presença e investimentos produtivos em vários setores da economia”, diz Claude Berda no comunicado.

A Vanguard desenvolve atualmente o “Terras da Comporta”. No portefólio da promotora imobiliária estão projetos como o Castilho 203, onde vive Cristiano Ronaldo, a “A Tower”, a “Infinity”, todos em Lisboa, bem como o Bayline e o White Shell, no Algarve.

A Vanguard comprou a Herdade da Comporta em parceria com o Grupo Amorim, uma parceria que tem sofrido evoluções.

Recomendadas

EDP Renováveis fecha contrato de aquisição de energia de 15 anos para um projeto eólico no Canadá

A EDP Renováveis fechou um contrato com a TransCanada Energy para a venda da energia verde do seu parque eólico de Shap Hills, no Canadá.

Aon e Firma estabelecem parceria para soluções globais de financiamento das empresas

Bernardo Theotónio-Pereira explica a parceria com “as necessidades actuais das empresas” que “passam, na sua maioria, por soluções de tesouraria e de funding céleres e independentes da burocracia e lentidão da banca nacional e/ou de outros players ou fundos ‘abutres’ que se instalaram em Portugal ”.

Quem é a Evergrande e porque está a assustar os mercados mundiais?

A iminência de incumprimento por parte do gigante chinês do imobiliário fez tremer os mercados e há já quem tema um impacto sistémico de elevadas proporções. O Jornal Económico falou com analistas do mercado e com o CEO da Vanguard Properties, que deram a sua visão sobre o que se passou com a Evergrande e que impacto pode ter no mercado.
Comentários