Clearwater e KeyBanc Capital Markets juntam-se para assessorar fusões e aquisições

Trabalhando em conjunto, o KBCM e a Clearwater International poderão desenvolver ainda mais o número de fusões e aquisições (M&A) cross-border dos seus clientes industriais e institucionais nos Estados Unidos, Europa e China.

Traders work on the floor of the New York Stock Exchange, (NYSE) in New York, U.S., March 7, 2018. REUTERS/Brendan McDermid

A Clearwater International e o KeyBanc Capital Markets anunciaram hoje uma aliança estratégica para expandir plataformas de M&A (fusões e aquisições).

As empresas anunciaram uma aliança estratégica com o objetivo de fomentar o crescimento em empresas de mid-market à escala global. “Ambas as empresas partilham uma abordagem semelhante ao mercado, baseada no conhecimento profundo da indústria, nas relações de longo prazo com os clientes e na excelente execução”, lê-se no comunicado.

A Clearwater International é uma empresa líder global de M&A e consultoria financeira no segmento mid-market, e o KeyBanc Capital Markets Inc. é o braço de investimento e corporate finance da KeyCorp (cotada na NYSE). É uma empresa sediada em Cleveland.

Trabalhando em conjunto, o KBCM e a Clearwater International poderão desenvolver ainda mais o número de fusões e aquisições (M&A) cross-border dos seus clientes industriais e institucionais nos Estados Unidos, Europa e China. “Esta aliança solidifica um esforço de vários anos para reforçar a colaboração em transações cross-border de M&A”, adiantam as empresas.

“A Clearwater International, cujo número de colaboradores totaliza mais de 250 em toda a Europa e China, proporcionará ao KBCM acesso a uma base mais ampla de investidores. O KBCM contribui com mais de 800 profissionais através de uma plataforma nacional de seis grandes setores industriais – incluindo o setor da saúde através da aquisição da Cain Brothers, bem como de tecnologia – para a base de clientes global da Clearwater International”, refere o comunicado.

“O dia de hoje marca um passo importante na concretização da ambição da Clearwater de se tornar a principal empresa de consultoria de mid-market à escala global”, disse Michael Reeves, CEO da Clearwater International. “Este esforço de colaboração permite à Clearwater um acesso reforçado à América do Norte e o KBCM será capaz de tirar o máximo partido dos grupos setoriais internacionais da Clearwater e das muitas relações que já temos com investidores estratégicos e financeiros em todo o mundo.”

“A parceria com a Clearwater é um importante passo no alargamento da plataforma de M&A do KBCM, proporcionando um acesso reforçado a empresas e fundos de private equity em toda a Europa e Ásia”, acrescentou Randy Paine, Presidente do Key Institutional Bank da KeyCorp. “Esta colaboração representa uma grande evolução para as duas empresas e vai acelerar as oportunidades para as equipas setoriais apoiarem as ambições dos seus clientes.”

A Clearwater International dedica-se à prestação de consultoria financeira para transações de mid-market, incluindo M&A, private equity, assessoria de dívida e serviços de reestruturação. A empresa concluiu mais de 1.600 transações com um valor agregado superior a 85 mil milhões de euros. A empresa conta com 17 escritórios e mais de 250 colaboradores em toda a Europa e Ásia.

Já o KeyBanc Capital Markets é um banco de investimento líder no mercado, que presta serviços de assessoria a empresas. Com mais de 800 profissionais numa plataforma nacional, o KeyBanc Capital Markets tem mais de 32 mil milhões de dólares de capital dedicados a clientes e uma equipa de research que oferece cobertura a mais de 600 empresas cotadas.

Ler mais
Recomendadas

PremiumSérvulo reforça Direito Europeu e Concorrência

Os professores Victor Calvete e Inês Quadros juntaram-se à equipa de Direito Europeu e Concorrência do escritório liderado por Paulo Câmara. Objetivo é “pôr ao serviço dos clientes aquilo que a vida académica oferece, tempo e distância para reflexão”.

Empresas portuguesas podem pagar menos impostos em Angola

O governo angolano considera que o objetivo fundamental das alterações fiscais é “tornar ou desonerar a carga fiscal nos rendimentos mais baixos, conservar ou manter a carga fiscal dos rendimentos de escalões intermédios e introduzir progressividade nos rendimentos mais altos”.

PremiumBCG vai medir maturidade digital das empresas nacionais

A consultora prepara-se para lançar um novo estudo na área da tecnologia, em parceria com a Nova SBE e a Google, para medir o pulso digital das organizações.
Comentários