CMVM suspende ações da Sociedade Comercial Orey Antunes

A CMVM decidiu suspender a negociação depois da empresa não ter publicado informação financeira periódica no devido prazo.

O Conselho de Administração da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) anunciou hoje que decidiu suspender a negociações das ações Sociedade Comercial Orey Antunes (SCOA).

O regulador tomou esta decisão “na sequência do emitente não ter publicado informação financeira periódica no prazo”.

A 10 de julho, a companhia, que está em Processo Especial de Revitalização (PER), anunciou o adiamento da apresentação de resultados do exercício de 2019.

A Orey Antunes argumentou que está ainda a decorrer o prazo para o tribunal proferir decisão quanto à homologação do PER.  “Tendo a conclusão deste processo impacto nos trabalhos de auditoria relativos ao exercício de 2019, não será possível concluir a elaboração dos documentos de prestação de contas do referido exercício dentro do prazo previsto”, segundo a empresa, que espera apresentar as suas contas até 30 de setembro.

Antes, a 8 de julho, a Orey anunciou que não vai pagar juros aos obrigacionistas este mês por estar à espera da homologação do PER, relativos às Obrigações “Best of Fixed Callable Notes due 2031”.

“Atento o disposto no Plano de Recuperação proposto pela SCOA, que prevê o perdão dos juros emergentes da referida emissão, e estando a correr o prazo para o Tribunal proferir decisão quanto à homologação deste plano, os juros relativos aos dois cupões que se vencem a 8 do corrente mês não serão liquidados”, segundo o comunicado divulgado na semana passada.

Caso seja proferida pelo tribunal a sentença homologatória do Plano de Recuperação proposto pela SCOA, os termos e condições da emissão de obrigações “serão modificados em conformidade com este mesmo plano”.

A SCOA aponta que os termos e condições da emissão de obrigações “serão modificados em conformidade” com o PER, se o tribunal aceitar este plano.

Orey à espera pela homologação do PER para fechar contas de 2019

Ler mais

Recomendadas

Assista agora à JE editors Talks: Energia Solar

Assista agora e conheça o potencial português na área da energia solar e saiba que importância esta terá no futuro do fornecimento de energia nacional.

Lucros do Grupo Crédito Agrícola caem 33% no primeiro semestre para 50 milhões de euros

As imparidades constituídas de 391 milhões de euros penalizaram o resultado líquido consolidado do Crédito Agrícola no primeiro semestre de 2020.

Regulador aprova alteração de marca da EDP Distribuição para E-REDES

Em comunicado, o regulador refere que a alteração da imagem e denominação da gestora das redes de distribuição de energia “será implementada de forma gradual, por forma a assegurar a neutralidade de custos para os consumidores de eletricidade”.
Comentários