Comércio de Lisboa retoma horários de funcionamento a partir de hoje

Os cafés são a exceção e terão de encerrar às 21h00. “Os postos de abastecimento de combustíveis podem retomar o horário de funcionamento anterior à pandemia, mantendo-se, no entanto, as restrições em vigor para a venda de álcool”, explica a autarquia.

Os estabelecimentos comerciais de Lisboa podem retomar os horários de funcionamento que tinham antes das restrições a partir desta sexta-feira.

O alargamento faseado do período de funcionamento das atividades económicas “acontece depois de ter sido obtido um parecer favorável das autoridades locais de saúde e das forças de segurança competentes em relação às normas previstas” de agora em diante, de acordo coma Câmara Municipal de Lisboa (CML). Foi sinalizada a importância da manutenção da contenção de ajuntamentos e de convívio social que contribuam para um maior risco de contágio do vírus Covid-19, bem como o alargamento do período de funcionamento diferenciado em algumas atividades económicas.

Assim, a autarquia informa que, em comunicado, “são restabelecidos os horários de funcionamento praticados antes da pandemia para todos os estabelecimentos de comércio a retalho e de prestação de serviços, incluindo os que se encontrem em centros comerciais”.

“Os postos de abastecimento de combustíveis podem retomar o horário de funcionamento anterior à pandemia, mantendo-se, no entanto, as restrições em vigor para a venda de álcool”. Já “os estabelecimentos de restauração e similares, incluindo os que dispõem de entrega no domicílio ou take-away, continuam a funcionar com as regras em vigor”. Ao mesmo tempo, “os cafés e similares não abrangidos pelo ponto anterior, incluindo os que se encontrem em conjuntos comerciais, assim como as lojas de conveniência, podem, sempre que o respetivo horário de funcionamento o permita, encerrar às 21h00”.

A CML a não deixa de recordar que, “como até aqui, as equipas da Polícia Municipal continuarão com a fiscalização diária do cumprimento dos horários e das regras de funcionamento decretadas pela DGS” e que “o eventual incumprimento destas regras por algum estabelecimento conduzirá à revogação do restabelecimento do horário de funcionamento”.

O Governo decidiu prorrogar, no Conselho de Ministros de 13 de agosto, a declaração da situação de contingência e alerta no âmbito da pandemia da doença Covid-19, estipulando regras específicas para a Área Metropolitana de Lisboa.

Neste quadro, a autarquia da capital recorda que a resolução atribui competência aos presidentes da câmara municipal para adaptar os horários dos estabelecimentos de comércio a retalho e de prestação de serviços, mediante parecer favorável da autoridade de saúde local e das forças de segurança.

Atendendo a que a situação epidemiológica registada no concelho de Lisboa tem vindo a melhorar, no sentido de se registar um menor número de novos casos diários, e que a  generalidade dos agentes económicos adaptou o seu funcionamento às regras definidas pela DGS, “a CML considera estarem reunidas as condições para o alargamento faseado do período de funcionamento das atividades económicas da cidade de Lisboa”.

Ler mais
Recomendadas
Evgeny Kazarez, Nani Holdings, Lone Star

Lone Star não tem “para já” planos de venda do Novo Banco

“O Novo Banco está agora a entrar na fase lucrativa”, referiu Evgeny Kazarez, acrescentando que não está previsto haver mais utilizações do CCA (mecanismo de capitalização contingente) porque “na medida do possível” o plano de reestruturação está concluído.

RealFevr levanta 2,2 milhões de euros para criar marketplace de NFT’s e expandir-se para o Reino Unido

O objetivo da ronda de investimento era angariar 1,6 milhões de euros. Para presidente da RealFevr, Fred Antunes, o resultado da ‘equity round’ “demonstra a altíssima procura e apetite dos investidores pela indústria dos NFT’s”.

Central solar flutuante no Alqueva entra em operação este ano

O projeto vai ter 12 mil painéis solares fotovoltaicos e vai ter a capacidade para abastecer as necessidades anuais de 25% da população da região.
Comentários