Comércio internacional contribui para um aumento do défice em sete milhões

De acordo com o INE, o défice da balança comercial de bens registou um aumento de 7 milhões de euros face ao mês homólogo de 2018, atingindo 1,647 milhões de euros em outubro de 2019.

Em outubro de 2019, as exportações e as importações de bens registaram um aumento de 8,4% e 6,5%, fazendo com que o défice da balança comercial atingisse 1,647 milhões de euros no mesmo período, o que representa um aumento do défice de 7 milhões de euros face ao mesmo mês de 2018.

Os dados são confirmados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), esta terça-feira, que informa que excluindo os combustíveis e lubrificantes, as exportações aumentaram 7,3% e as importações cresceram 5,9% (mais 6,7% e 10,4%, respetivamente, em setembro de 2019). No trimestre terminado em outubro de 2019, as exportações e as importações aumentaram 3,6% e 5,3%, respetivamente, face ao trimestre terminado em outubro de 2018.

Segundo o INE, em outubro de 2019 e em termos das variações homólogas mensais, as exportações e as importações aumentaram 8,4% e 6,5%, respetivamente. A variação apresentada em ambos os fluxos foi principalmente resultado da evolução registada no comércio dentro do espaço europeu. “Salientam-se os acréscimos nas exportações e importações de material de transporte”, informa o documento. “Destaca-se ainda o decréscimo nas importações de fornecimentos industriais (menos 2,2%), o único decréscimo nas transações de todas as grandes categorias económicas”.

Principais clientes

De acordo com os dados do INE, tendo em conta os principais países de destino e os principais fornecedores em 2018, destacam-se os acréscimos nas exportações para França (mais 16,0%) e para os Estados Unidos (mais 46,8%). As exportações para Angola registaram o único decréscimo, menos 13,7%.

Os aumentos nas importações provenientes de França são os que mais se destacam, mais 15,8%, sobretudo de outro material de transporte (maioritariamente aviões). As importações provenientes da Rússia registaram o único decréscimo, com uma queda de 87,1%, sobretudo devido aos combustíveis e lubrificantes.

 

Ler mais

Recomendadas

Comissão Europeia propõe prolongar até fim do ano regras flexíveis para ajudas estatais

Para já, Bruxelas enviou às 27 capitais um esboço de proposta, para consulta, e, de acordo com Vestager, o “caminho a seguir” será decidido “tendo em conta os pontos de vista de todos os Estados-Membros e a necessidade de preservar uma concorrência efetiva no mercado único”.

Empresário da água e das vacinas torna-se no homem mais rico da Ásia

O património líquido de Zhong Shanshan atingiu um pico de 95 mil milhões de dólares (78,3 mil milhões de euros) no início de janeiro deste ano, e agora situa-se nos 84,7 mil milhões de dólares (69,8 mil milhões de euros), de acordo com o Índice de bilionários da “Bloomberg”.

UTAO estima que défice ajustado foi de 9.136 milhões de euros até novembro

O saldo das contas públicas ajustado de fatores que limitam a comparabilidade homóloga foi de -9.136 milhões de euros até novembro de 2020, de acordo com um relatório da Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO) hoje divulgado.
Comentários