Comissão de Utentes de Lisboa critica ligação de Metro do Rato ao Cais do Sodré

Está a decorrer até quarta-feira a consulta pública à avaliação de impacte ambiental ao projeto de prolongamento do Metropolitano de Lisboa, entre as estações do Rato (Linha Amarela) e do Cais do Sodré (Linha Verde), incluindo as novas ligações aos viadutos do Campo Grande.

A Comissão de Utentes de Transportes de Lisboa defendeu hoje que a ligação de Metro do Rato ao Cais do Sodré e uma linha circular é uma opção “errada e vai degradar” a oferta no norte da cidade.

“Ligar o Rato ao Cais do Sodré e criar uma linha circular a partir do Campo Grande, com as linhas Verde e Amarela, passando as restantes a funcionar como linhas radiais “é uma opção errada que irá ainda degradar mais a oferta às populações da Zona Norte de Lisboa”, assim como de Odivelas e Loures, refere um comunicado daquela comissão enviado à Lusa, em que apelam ao chumbo do projeto.

Está a decorrer até quarta-feira a consulta pública à avaliação de impacte ambiental ao projeto de prolongamento do Metropolitano de Lisboa, entre as estações do Rato (Linha Amarela) e do Cais do Sodré (Linha Verde), incluindo as novas ligações aos viadutos do Campo Grande.

O objetivo é obter uma linha circular a partir do Campo Grande com as linhas Verde e Amarela, passando as restantes linhas a funcionar como radiais – linha Amarela de Odivelas a Telheiras, linha Azul (Reboleira – Santa Apolónia) e linha Vermelha (S. Sebastião – Aeroporto).

No seu contributo para a consulta pública, promovida pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA), a comissão de utentes transmite preocupação com a futura “degradação da oferta” às populações da zona norte de Lisboa, nas estações da Ameixoeira, Lumiar, Quinta das Conchas e Telheiras, que serão obrigadas a mudar de linha no Campo Grande para aceder ao centro da Cidade, tal como aos habitantes em Odivelas e Loures.

Esta alteração à rede do Metro, especifica, também prejudica as populações  de outras zonas da cidade, como Benfica, S. Domingos de Benfica, Carnide ou Olivais e Marvila, “uma vez que o projeto visa concentrar meios – materiais e humanos — na linha circular, desinvestindo nas futuras linhas radiais”.

Ler mais
Recomendadas

Coca Cola aposta no plástico reciclado para as suas embalagens PET

A CuRe tem o potencial de apoiar a Coca-Cola na Europa Ocidental no seu objetivo de eliminar o PET virgem de origem fóssil das suas embalagens durante a próxima década, o que ajudará a eliminar a utilização de mais de 200 mil toneladas de PET virgem por ano.

Ministério Público está investigar descarrilamento de Alfa Pendular

Questionada na sexta-feira pela Lusa, a PGR confirmou hoje “a instauração de inquérito” relativo ao descarrilamento do Alfa Pendular. Segundo a PGR, o inquérito foi aberto na primeira secção do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Coimbra.

Primeiros 12 drones de vigilância das florestas já foram entregues à Força Aérea

A aquisição dos drones por parte da Força Aérea portuguesa foi financiada, na sua totalidade, pelo Fundo Ambiental do governo. Os drones representam um investimento inferior quando comparado aos meios aéreos tripulados, a que se junta a capacidade de permanecerem no ar durante mais tempo (12 horas), reforçando assim a sua importância na ajuda à prevenção/combate dos incêndios em Portugal.
Comentários