Comissão Política do PSD vai analisar os resultados eleitorais na próxima semana

Primeiro, reunirá a Comissão Permanente, núcleo duro da direção, e em seguida, a Comissão Política alargada, encontros em que serão analisados os resultados eleitorais.

rui_rio_psd_legislativas_1
Tiago Petinga/Lusa

A Comissão Política do PSD vai reunir-se na próxima na quarta-feira, dez dias depois das eleições legislativas em que o partido obteve 27,9% dos votos.

A informação foi avançada pelo Expresso online e confirmada por fonte oficial do PSD à Lusa.

Primeiro, reunirá a Comissão Permanente, núcleo duro da direção, e em seguida, a Comissão Política alargada, encontros em que serão analisados os resultados eleitorais.

O presidente do PSD, Rui Rio, ainda não esclareceu se irá continuar e recandidatar-se à liderança do partidos – pelos estatutos do partido, deverão realizar-se eleições internas em janeiro –, tendo dito na noite eleitoral que será uma decisão tomada “com serenidade e ponderação”.

Na quarta-feira, o antigo líder parlamentar Luís Montenegro já anunciou que será candidato às próximas diretas.

Recomendadas

Chega acusa IGAI de alimentar “cultura de ódio, desrespeito e violência” contra agentes da autoridade

Requerimento de André Ventura para que a inspetora-geral Anabela Cabral Ferreira explique aos deputados o Plano de Prevenção de Manifestações de Discriminação nas Forças e Serviços de Segurança alega que monitorização das redes sociais dos polícias demonstra “prepotência a autoritarismo”.

Tribunal de Contas dá luz verde às contas da Presidência da República, deixa dois elogios e faz três recomendações

TdC elogia o empenho do Palácio de Belém na “prestação atempada das contas relativas ao ano económico de 2019, não obstante as exigências decorrentes da situação pandémica Covid-19”, mas deixa três recomendações para este ano.

Presidente da Iniciativa Liberal diz que “poderes políticos puseram conscientemente em causa a vida das pessoas por motivos ideológicos”

João Cotrim Figueiredo disse que “não houve ninguém do PS para a esquerda que tivesse a hombridade” de reconhecer que a contratação de consultas de especialidade e de cirurgias aos hospitais privados era uma forma de evitar uma segunda crise de saúde pública “escondida por debaixo da Covid-19”.
Comentários