Como gere as suas finanças pessoais? Esta é a melhor forma de planear o orçamento familiar

É comum ouvirmos falar em gestão de finanças pessoais e no orçamento familiar. Contudo, e face às dificuldades que todas as famílias atravessam, como podemos estabelecer um orçamento familiar e poupar?

A gestão das finanças pessoais é fundamental para melhor gerir os rendimentos e controlar as despesas, permitindo, ainda, poupar, acautelando imprevistos e possibilitando investimentos.

O acesso ao crédito permite que muitas famílias prosperem, comprem casa e muitos bens de consumo. Mas se é importante que os particulares tenham acesso ao crédito, o recurso ao mesmo deve ser responsável, de forma a evitar os riscos de endividamento excessivo e de sobre-endividamento.

Claro que há sempre imprevistos! Situações de desemprego, divórcio, doença, acidente ou cortes no salário levam à perda de rendimentos ou ao aumento das despesas e, logo, ao desequilíbrio das nossas finanças pessoais. Por isso, a elaboração do orçamento familiar é fundamental!

E afinal falamos de quê? O orçamento familiar é uma excelente ferramenta para organizar e disciplinar a vida financeira, possibilitando o controlo das despesas e a tomada de decisões importante, como a preparação da reforma ou a compra de casa.

Em primeiro lugar, a família deverá anotar o que ganha e o que gasta, tentando prever as despesas e as receitas futuras. É composto por duas partes:

  • RENDIMENTOS gerados pelos membros do agregado familiar (salários, pensões, subsídios, juros de depósitos, etc.);
  • DESPESAS do agregado familiar (alimentação, vestuário, habitação, etc.), incluindo um valor de poupança.

Mensalmente, ou sempre que possível, as famílias devem retirar uma parte dos seus rendimentos para uma poupança. O ideal seriam 10% do rendimento, no entanto esta avaliação terá de ser feita caso a caso. O ideal será as famílias terem um fundo de emergência (pelo, menos, 5 a 6 vezes o rendimento mensal da família) para acautelar o impacto financeiro de situações inesperada, tal como referido.

A constituição de uma poupança pode, também, ter um objetivo mais específico: a compra de bens ou serviços específicos ou a realização de uma viagem, sem que seja necessário um recurso ao crédito. Atualmente poupar deve ser uma prioridade para prevenir o futuro, como seja a constituição de um complemento de reforma, ou para apoiar a educação dos filhos ou ainda contratar um plano de saúde.

Saiba mais em: www.gasdeco.net

Ler mais
Recomendadas

Economize: Serviços de saúde. Conheça os seus direitos como paciente e saiba como reclamar

“Aceitar ou recusar os tratamentos propostos e ser informado da situação de saúde e do tempo de espera de cada ato clínico são alguns direitos do doente”, informa a Deco Proteste.

Evite desperdícios e reduza o consumo da água. Como? Siga estas dicas

Estas são algumas dicas para que evite os gastos e contribua para um estilo de vida mais ‘verde’.

Quais são os cuidados que o titular de cartão deve ter na sua utilização?

O titular do cartão de pagamento deverá assegurar um conjunto de boas práticas na utilização do cartão, tanto em contexto de utilização remota como presencial, a fim de promover a segurança deste meio de pagamento. As recomendações são do Banco de Portugal.
Comentários