Como identificar cogumelos e o que fazer em caso de indisposição?

O departamento de Biologia da Universidade de Évora dá dicas sobre a identificação dos diferentes tipos de cogumelos. Em caso de indisposição procure levar exemplares dos cogumelos suspeitos, para auxiliar no diagnóstico.

O que são cogumelos alucinogénios?

De acordo com Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências (SICAD), os cogumelos com efeitos alucinogénios ou psicadélicos podem dividir-se em dois grupos: os que contêm a psilocibina ou a psilocina, como substância psicoativa, e os que contêm muscarina, como o Amanita muscaria.

Existe ainda um terceiro grupo, que parasita algumas espécies vegetais, conhecido como a cravagem do centeio, precursor do LSD, substância sintética abordada noutro local. A distribuição dos cogumelos é generalizada por todo o mundo, nomeadamente na Europa. É fácil confundir os chamados cogumelos mágicos com outras espécies não alucinogénias, nomeadamente algumas venenosas. Uma parte dos cogumelos mágicos consumidos com intuitos recreativos é proveniente de cultivo próprio para esse fim.

No “Guia do Colector de Cogumelos”, criado pelo Programa para a Rede Rural Nacional, com o apoio da Direção-Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural, Governo e União Europeia, pode consultar (com imagens) vários tipos de cogumelos comestíveis, não comestíveis, tóxicos e mortais.

Como se identificam?

O departamento de Biologia da Universidade de Évora lembra que o reconhecimento dos cogumelos permite saber quais os fungos que os produziram e tirar benefícios para a saúde porque existem muitas espécies comestíveis ou com propriedades medicinais.

O processo de identificação é relativamente complicado e complexo, pois, no início, os cogumelos parecem todos iguais. No entanto, uma observação mais cuidadosa, rigorosa e pormenorizada, considerando algumas características morfológicas (macroscópicas e microscópicas), características mais sensoriais, como o cheiro ou sabor (organolépticas) e ecológicas, permite descobrir muitas diferenças e variações entre os cogumelos. Contudo, na maior parte das vezes, os cogumelos de uma determinada espécie não apresentam rigorosamente todas as características como são descritos na maioria dos guias de identificação, pois como se encontram expostos aos factores ambientais, como chuva, temperatura e acção dos animais, sofrem modificações constantes.

Num portal criado para o efeito, estes especialistas sublinham que, ao longo do seu processo de maturação, os cogumelos sofrem alterações morfológicas (na forma, na cor, na textura…), pelo que aconselham a observar diversos exemplares em diferentes fases. Por outro lado, para identificar um cogumelo pela primeira vez, é essencial extraí-lo inteiro, com muito cuidado, do substrato onde se encontra (solo, troncos, ramos, folhas, excrementos), pois existem características que se encontram enterradas”, referem.

Comi um cogumelo e senti-me mal. O que devo fazer?

Aos primeiros sintomas de indisposição – vómitos, náuseas, diarreia, dor abdominal, tonturas) contacte o Centro de Informação Antivenenos (CIAV) – através do 808 250 143. Se não conseguir contactar o CIAV, ligue 112 ou dirija-se ao hospital mais próximo. Procure levar exemplares dos cogumelos suspeitos de terem provocado a intoxicação, para auxiliar no diagnóstico.

O que aconteceu em Viseu?

Esta quarta-feira à noite cinco pessoas sofreram uma intoxicação devido à ingestão de cogumelos, em Lordosa, no concelho de Viseu, na quarta-feira à noite, tendo sido assistidas no hospital, disse à agência Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro. “Foi uma intoxicação por cogumelos, que provocou cinco feridos, um deles grave”, na localidade de Fermentelos, referiu. Segundo a mesma fonte, todos têm acima de 50 anos e foram transportados para o hospital de Viseu.

Ler mais
Relacionadas

Cinco pessoas intoxicadas por cogumelos

“Foi uma intoxicação por cogumelos, que provocou cinco feridos, um deles grave”, na localidade de Fermentelos, referiu.
Recomendadas

BPI vence Prémio Cinco Estrelas na categoria de Banca Digital

O BPI é líder na penetração do homebanking, com quase metade dos seus clientes particulares a serem utilizadores deste canal. O mesmo acontece no caso dos clientes empresariais, em que 84,5% usam os canais digitais do Banco. Isto segundo o estudo BASEF Banca relativo ao período de fevereiro a agosto de 2018.

Escalões mantêm-se mas IRS sofre ajustes

Apesar de os limites máximos dos sete escalões do IRS não sofrerem alterações, o OE2019 prevê mudanças com impacto na carteira dos portugueses.

BCP é a Escolha do Consumidor 2019 na categoria Grandes Bancos

O Banco registou o maior grau de satisfação dos inquiridos face à concorrência, com 7,33 (de 1 a 10), terminando com um índice de satisfação de 71,69% entre os dois mil consumidores consultados.
Comentários