Como reduzir o consumo de açúcar?

A OMS indicou que o açúcar não deve contribuir com mais de 10% das calorias diárias. Saiba como reduzir o consumo deste ingrediente.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) emitiu uma nova recomendação sobre o consumo de produtos livres de açúcar, alertando que estes contém um aumento na quantidade calórica, por isso que aconselham o consumo de outros produtos com calorias mais adequadas.

Nesta recomendação, a OMS indicou, que o açúcar não deve contribuir com mais de 10% das calorias diárias (tanto em crianças como em adultos). Ou seja, numa dieta de 2 mil calorias, seriam cerca de 50 gramas de açúcar, o equivalente a cerca de 12 colheres de chá de café. No caso das crianças, o consumo não deve exceder as 37 gramas numa dieta de 1.750 calorias.

O que são os produtos livres de açúcares?

A OMS indica que são monossacarídeos (como glicose e frutose) e dissacarídeos (como sacarose ou açúcar de mesa) e que acrescem aos açúcares naturalmente presentes no mel, xaropes e frutas e sumos à base de concentrado, explica Elena Gascón Villacampa, presidente do Grupo Oficial de Nutricionistas em Espanha.

Consequências

Apesar do açúcar cumprir algumas funções importantes no nosso corpo, como a ativação da energia essencial para atividades diárias, é essencial conhecer os efeitos negativos que o excesso de glicose pode ter no corpo.

  • Aumento de peso, ou obesidade, que pode resultar em hipertensão, diabetes, colesterol alto, entre outros problemas cardiovasculares;
  • Cáries dentárias, pois as bactérias da boca são alimentadas por açúcares que se transformam em ácido e que podem danificar o esmalte;
  • Fome descontrolada. O consumo diário de açúcares implica que se cria uma resistência à leptina, ou seja, a resitência a um agente que controla a sensação de fome.
  • Insuficiência renal crónica, se seguir uma dieta de açucares em excesso, eventualmente, vai começar a detectar a presença de albumina na urina. Isto indica-nos que o rim está a produzir falhas.
  • Vício ou dependência.

Por onde começar?

  • Faça uma redução progressiva do açúcar, invés de optar por uma redução repentina, de modo a que o seu paladar fique acostumado à mudança;
  • Reduzir a adição de açúcar em iogurtes e bebidas (cafés e chás);
  • Redução de consumo de doces, pastéis, bolos e milkshakes;
  • Esteja atento aos rótulos dos produtos e aos ingredietes que integram. É aconselhado evitar aspartamo, glucitol, acessulfame K ou xarope de glucose e frutose

Como substituir o uso de açúcar?

  • Frutas secas e/ou frescas são uma boa alternativa para usar na culinária devido aos açucares naturais, fibras, vitaminas e minerais.
  • Use especiarias e sementes, como noz-moscada e canela, que tenham um sabor levemente adocicado e possam ser usadas para bebidas como café, chá ou leite.
  • As bebidas vegetais de coco e a amêndoa, proporcionam uma leve doçura;
  • O óleo de coco também tem um leve sabor açucarado que é transferido para o alimento em que é cozido. Pode ser usado para substituir outros óleos e manteiga.
Recomendadas

Novos limites da pesca da sardinha variam entre 1.575 e 4.725 quilogramas

Para as embarcações com comprimento superior a nove metros e inferior ou igual 16 metros o limite é 3.150 quilos (150 cabazes, quando aplicável).

Ano de “muito boa” qualidade para o vinho do Dão 

Arlindo Cunha explicou que, para a Comissão Vitivinícola Regional Dão, “um ano normal é um ano em que a produção andará perto dos 30 milhões de litros e, este ano, se tudo correr conforme está previsto, andará próximo dos 25 milhões” de litros de vinho.

Vamos vindimar?

Participar nas Vindimas continua a estar na moda e é uma das tradições mais genuínas em Portugal. Teve o privilégio de em criança o fazer na companhia dos seus avós? Ou nunca teve oportunidade de fazer parte deste ritual? A Torre de Palma desafia-o a participar numa tradicional Vindima
Comentários