Competição internacional para ideias ‘cleantech’ oferece 10 mil euros

A UPTEC – Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto e a LIPOR – Serviço Intermunicipalizado de gestão de resíduos do Grande Porto promovem, em Portugal, um programa que apoia ideias que reduzam o impacto negativo no ambiente.

A UPTEC – Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto e a LIPOR – Serviço Intermunicipalizado de gestão de resíduos do Grande Porto promovem, em Portugal, um programa que apoia ideias que reduzam o impacto negativo no ambiente. Ao ClimateLaunchpad podem concorrer ideias de negócio cleantech – relacionadas com energias renováveis, eficiência energética, agricultura, água, transportes, tecnologia industrial e muito mais.

Os projectos selecionados para o programa vão receber apoio na gestão e validação da ideia de negócio, preparação para pitch e acesso à rede internacional de contactos do ClimateLaunchpad. A participação garante, ainda, a oportunidade de frequentar um bootcamp de dois dias com um formador certificado, sessões de mentoria, e a apresentação do negócio a um painel de especialistas nacionais e internacionais.

O vencedor da competição vai receber 10 mil euros, já o segundo e terceiro lugares vão ter um prémio de 5.000 e 2.500 euros, respetivamente. As candidaturas para ideias portuguesas estão abertas até ao dia 26 de maio.

PCGuia
Recomendadas

Temperaturas sobem hoje mas chuva regressa no fim de semana

Instituto Português do Mar e Atmosfera coloca esta sexta-feira em risco máximo de incêndio 18 concelhos do país.

Ilhas do Pacífico sem consenso nas medidas contra alterações climáticas devido à Austrália

Os líderes das 18 nações do Pacífico não chegaram a um acordo sobre a Declaração de Tuvalu, que havia sido produzida pelas nações de menor dimensão da região, tendo sido emitida a Declaração de Kaikani II, um texto que diminuiu o tom e os compromissos em relação ao fenómeno global das alterações climáticas.

Governo disponibiliza 600 mil euros para apoiar agricultores de Mação, Vila de Rei e Sertã

Esta decisão decorre da publicação, hoje, em Diário da República, de um despacho que reconhece este incêndio como “catástrofe natural”.
Comentários