Concurso para desconstrução do prédio Coutinho lançado em duas semanas

Também não queremos lançar no imediato, não vá isso ser a razão para que alguém ponha mais alguma ação em tribunal”, afirmou hoje à agência Lusa João Pedro Matos Fernandes.

Arménio Belo/Lusa

O ministro do Ambiente revelou esta terça-feira pretender lançar o concurso público internacional para a desconstrução do prédio Coutinho, em Viana do Castelo, “dentro de uma a duas semanas”, e apelou aos últimos moradores para que saiam “depressa” do edifício.

“Estamos a falar de lançar o concurso público dentro de uma a duas semanas. Também não queremos lançar no imediato, não vá isso ser a razão para que alguém ponha mais alguma ação em tribunal”, afirmou hoje à agência Lusa João Pedro Matos Fernandes.

O Tribunal Administrativo e Fiscal de Braga julgou improcedentes, nos dias 19 e 20 de janeiro, a intimação para proteção de direitos, liberdades e garantias e a providência cautelar movidas, em 24 de junho de 2019, pelos últimos moradores do edifício Jardim para tentar travar o início da desconstrução do prédio.

Em comunicado, os moradores já hoje informaram que vão “abandonar voluntariamente” o edifício, localmente conhecido como prédio Coutinho, mas garantiram que a luta judicial vai continuar.

Em entrevista à Lusa na sequência desta decisão judicial, Matos Fernandes admitiu que a “desconstrução não vai começar no imediato”.

“Sabendo nós que é um concurso público internacional (…) não imagino, mesmo correndo tudo bem, que a desconstrução, de forma a ser evidente, se possa iniciar antes de outubro ou novembro. Não tenho uma expectativa mais otimista do que esta”, referiu.

“Vamos depressa lançar um novo concurso para que, de facto, aquele abcesso urbano seja removido e Viana do Castelo e todo o seu centro histórico fiquem incólumes, e possam ter o estatuto de proteção que merecem pela beleza que têm”, sustentou.

Ler mais
Recomendadas

Preço do m2 das ‘penthouses’ subiu quase 10% em 2020

Pandemia tem levado a uma procura de casas com espaços maiores tanto a nível exterior como interior. Apartamentos com quatro ou mais quartos foram os únicos a registar uma descida no preço do m2.

Portugal registou 46.340 fogos em licenciamento em 2020

Este pipeline ficou 2% abaixo do registado em 2019 em número de fogos (19.040), mas superou em 5% o número de projetos (47.150).

Imobiliárias europeias deverão recuperar lucros pré-Covid em 2022

As 20 maiores imobiliárias da Europa irão terminar 2021 com um lucro conjunto de 9,2 mil milhões de euros, o que significa que vão quadriplicar o resultado alcançado em 2020.
Comentários