Concursos de obras promovidos em Portugal até final de outubro atingiram 4.160 milhões de euros, uma subida de 18%

No que diz respeito ao volume de contratos de empreitadas no âmbito de concursos públicos celebrados e objeto de reporte no Portal Base até ao final de outubro, regista-se um total de 1.716 milhões de euros, menos 2% em termos homólogos.

Os concursos de obras públicas promovidos em Portugal até ao final de outubro atingiram um montante de global de 4.160 milhões de euros, “valor que traduz um crescimento de 18% em termos homólogos, ultrapassando já o total apurado para o ano de 2019, tratando-se mesmo do valor mais elevado registado desde o início desta série, em 2010”, de acordo com o ‘Barómetro de Obras Públicas’ da responsabilidade da AICCOPN – Associação dos Industriais da Construção Civil e das Obras Públicas.

No entanto, segundo esse documento, “no que diz respeito ao volume de contratos de empreitadas no âmbito de concursos públicos celebrados e objeto de reporte no Portal Base até ao final de outubro, regista-se um total de 1.716 milhões de euros, menos 2% em termos homólogos”.

“De igual modo, ao nível dos contratos de empreitadas celebrados em resultado de ajustes diretos e consultas prévias, que totalizam 395 milhões de euros, observa-se uma variação de menos 5% em termos homólogos. Considerando, ainda, os contratos celebrados sob as restantes modalidades de contratação, que representam 251 milhões de euros neste período, o total de empreitadas de obras públicas objeto de celebração de contrato e registo no Portal Base até final de outubro, foi de 2.363 milhões de euros, mais 3% que o verificado em 2019”, salientam os responsáveis da AICCOPN.

Assim, “o volume dos contratos celebrados, em resultado de uma evolução menos expressiva, situa-se 43% abaixo nível dos concursos promovidos”, conclui o barómetro em causa.

Recomendadas

Construção e Imobiliário: impactos da pandemia e perspetivas futuras

As ações de mitigação a tomar nos próximos anos são sobretudo de caráter político-económico, começando com investimento público como meio para estimular a economia e, subsequentemente, incentivar o desenvolvimento do setor privado.

Mota-Engil assina contrato de 1.490 milhões na Nigéria e Níger

O contrato, considerado o maior de sempre na história da construtora nacional, respeita à construção de uma linha férrea com cerca de 374 quilómetros de extensão que atravessa os dois países africanos e que terá um prazo de execução de 32 meses.

AG da Mota-Engil aprova aumento de capital de 100 milhões

O conselho de administração reunirá no próximo dia 11 de janeiro para colocar o processo em andamento. Na Assembleia Geral estiveram presentes representantes de quase 70% do capital.
Comentários