Concursos de obras públicas caem 29% em janeiro para 202 milhões de euros

No ano de 2020 foram promovidos concursos públicos de 4.827 milhões de euros, um aumento de 20% face a 2019, tendo sido celebrados 3.425 milhões de euros, o que representa um crescimento de 30%, segundo os dados publicados pela associação AICCOPN.

As empreitadas de obras públicas promovidas atingiu os 202 milhões de euros em janeiro, um valor 29% inferior ao registado no mês homólogo, adiantou esta terça-feira a Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas (AICCOPN).

Em comunicado, a entidade ressalvou que “apesar deste abrandamento em termos homólogos mensais, a média apurada nos três últimos meses apresenta um crescimento de 13,8% face a igual período de 2020”.

A AICCOPN destacou ainda que “os contratos de empreitadas celebrados em janeiro e objeto de reporte no portal Base, totalizaram 187 milhões de euros, mais 14% do que o apurado no mesmo mês do ano anterior”, lê-se na mesma nota.

A associação acredita que se regista uma “evolução de continuidade de uma tendência marcadamente positiva a este nível”, tendo em conta a informação disponível até ao dia 15 de fevereiro deste ano, apesar de se estar, “apenas, perante uma observação mensal”.

Por outro lado, de acordo com a AICCOPN, “os contratos celebrados no âmbito de concursos públicos situaram-se nos 143 milhões de euros, mais 5% face a janeiro de 2020”.

A associação concluiu ainda que “os contratos celebrados em resultado de ajustes diretos e consultas prévias atingiram 32 milhões de euros, mais 56% face ao mês de janeiro de 2020”.

No ano de 2020 foram promovidos concursos públicos de 4.827 milhões de euros, um aumento de 20% face a 2019, tendo sido celebrados 3.425 milhões de euros, o que representa um crescimento de 30%, segundo os dados publicados pela associação.

Ler mais
Recomendadas

CMVM diz que CCCC pode comprar 30% da Mota-Engil sem OPA tendo em conta mudança de estatutos prevista

O regulador respondeu à construtora chinesa sobre o acordo para a compra de 30% da Mota-Engil sem obrigatoriedade de OPA, porque a mudança de estatutos prevista retira poderes a quem tem 30% da empresa. Mas a CMVM avisa que continuará a acompanhar a atividade da Mota-Engil e a respetiva estrutura acionista (incluindo a relação entre os titulares de participação qualificada), no sentido de garantir o cumprimento pontual de todas as normas legais.

Sector da construção em contraciclo aumenta investimento e VAB em 2020, dizem Associações

“O investimento em construção evidenciou-se com um crescimento de 4,8%, num ano em que o investimento total registou uma variação de -4,9%, em termos homólogos. Os dados são das associações do sector.

Mota-Engil com novo contrato para construir autoestradas na Polónia no valor de 150 milhões

O grupo português ganhou um contrato de conceção e construção (reabilitação e expansão) da Autoestrada S19 na Polónia. Uma empreitada com o valor adjudicado de 150 milhões de euros.
Comentários