PremiumConcursos públicos para a ferrovia voltam à estaca zero

Em dois concursos para a modernização da rede ferroviária, incluindo um troço da linha da Beira Alta, o júri propôs a exclusão de todos os concorrentes. Construtoras criticam preços ‘irrealistas’ da IP, que terá de lançar novos concursos. Mais atrasos e custos.

Os júris dos concursos públicos para as empreitadas de modernização do troço da linha da Beira Alta entre a Pampilhosa e Santa Comba Dão e construção da concordância da Mealhada, assim como para a estabilização dos taludes na linha de Leixões e concordância de São Gemil, a cujos relatórios o Jornal Económico teve acesso, decidiram propor a exclusão de todas as propostas presentes a concurso, quer num caso, quer no outro.

Desta forma, os dois processos vão ter de voltar à estaca zero, levando ao lançamento por parte da IP – Infraestruturas de Portugal de novos concursos públicos para estas empreitadas e, consequentemente, ao arrastamento e encarecimento do projeto de renovação da rede ferroviária nacional.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

BNI Europa agravou prejuízos para 6,6 milhões de euros até junho

O ativo líquido total era em junho passado de 351,5 milhões de euros, neste caso menos 66,5 milhões de euros face a junho de 2019.

Banco de Portugal obriga financeiras em regime de livre prestação de serviços a reporte

Centenas as instituições estão registadas em Portugal como instituições de crédito da União Europeia em regime de livre prestação de serviços e entidades de moeda eletrónica com sede na Europa em regime de livre prestação de serviços, caso dos bancos digitais N26, Openbank ou Revolut.

Transportes Metropolitanos de Lisboa aprovado pelo Conselho Metropolitano

A Área Metropolitana de Lisboa detém a totalidade da empresa, que vai o património da empresa OTLIS – Operadores de Transportes da Região de Lisboa.
Comentários