Concursos públicos sobre lítio só na próxima legislatura

Gabinete do Ministério do Ambiente e da Transição Energética (MATE) afirmou que o concurso “será lançado garantidamente em 2019”. Mas haverá dois processos ainda por concluir.

Os concursos públicos para a exploração de lítio em Portugal só deverão ser lançados na próxima legislatura, isto é, depois de outubro, por causa de atrasos na regulamentação da lei, noticia o “Público” esta segunda-feira, 9 de setembro.

Embora o Governo tenha prometido dar início aos concursos para a exploração de lítio até este verão, as propostas recebidas pelo Estado ainda não obtiveram uma resposta. O Governo tem na gaveta, há dois anos, a Estratégia Nacional para o Lítio que só vai arrancar quando for lançado o primeiro concurso.

Questionado pelo Público, o Gabinete do Ministério do Ambiente e da Transição Energética (MATE) afirmou que o concurso “será lançado garantidamente em 2019”, mas só depois da conclusão de dois processos.

Primeiro, falta tratar da regulamentação da lei que estava em falta, isto porque a lei de bases publicada em 2015 não foi regulamentada como deveria. Segundo, faltará acautelar todas as questões ambientais, porque o ministro do Ambiente, Matos Fernandes, garantiu que a prospeção de lítio só avançará “com regras ambientais extraordinariamente apertadas”.

Há atualmente três projetos em fases mais avançadas: a Lusorecursos, em Montalegre, a Savannah, em Covas do Barroso (Boticas), e a Pann, na Serra da Argemela (Covilhã). Além disso, há ainda outros pedidos de prospeção e pesquisa que foram entregues e que ficaram congelados até ao lançamento do concurso, sendo que muitos deles não recaem sobre as áreas consideradas estratégicas pelo Grupo do Lítio.

Recomendadas

High Bridge reduz posição na Pharol para 4,88%

Em comunicado divulgado pela Comissão do Mercado dos Valores Mobiliários (CMVM), a empresa liderada por Luís Palha da Silva diz que “recebeu do Banco Comercial Português a notificação de participação qualificada” de 4,88%.

Airbnb anuncia intenção de entrar em bolsa em 2020

“A comunidade de anfitriões e hóspedes da Airbnb gerou mais de 100 mil milhões de dólares (90,5 mil milhões de euros) em impacto económico direto estimado em 30 países, só em 2018”, assumiu a Airbnb em comunicado.

Google apoia portuguesa Barkyn como startup em crescimento

“Durante estes dois meses vamos estar rodeados pelos maiores peritos digitais da Google, o que terá certamente um enorme impacto na afirmação da Barkyn como startup líder do espaço pet na Europa”, garantiu um dos responsáveis da Barkyn.
Comentários