Conde Draghila: Jornal alemão critica presidente do BCE por “sugar” as poupanças dos alemães

O ministro das Finanças alemão ainda veio a público por água na fervura e garantir que as consequências não são tão negativas para as poupanças dos alemães, mas o jornal tablóide não tem dúvidas. “O conde Draghila está a sugar as nossas contas”, escreveu o Bild.

Um dia depois de ter anunciado o corte nas taxas de juro do Banco Central Europeu (BCE) para território negativo, um dos principais jornais alemães, o Bild, aproveitou para comparar Mário Draghi ao conde Drácula.

O jornal tablóide afirma que o presidente do BCE está, com esta medida, a “sugar” as contas-poupança de milhares de cidadãos alemães, segundo a Reuters.

“O conde Draghila está a sugar as nossas contas. Continua o horror para as poupanças dos alemães”, escreve o jornal mais lido da Alemanha com vendas de 1,5 milhões de cópias por dia.

Com o objetivo de recomeçar a atividade económica dez anos depois da crise que afetou a zona Euro, o BCE anunciou na quinta-feira dia 12 de setembro, várias medidas onde se destaca um corte de dez pontos base na taxa de depósito, ficando portanto nos -0,50%.

O incentivo que superou as expectativas causou preocupação nos alemães mais sépticos, que acusam o BCE de durante vários anos manter as taxas de juro em valores “demasiado” baixos, o que os impede de ter um retorno maior.

Olaf Scholz, ministro das finanças alemão, tentou através de um discurso dirigido aos donos de poupanças acalmá-los, afirmando que “a maioria dos contratos que as pessoas têm com os seus bancos não permite que se apliquem este tipo de taxas de juro, portanto, o problema não é grave. As administrações dos bancos são suficientemente inteligentes para saber as consequências de aplicar este tipo de taxas de juro”.

Ainda assim, um dos membros do conselho do Banco Central Alemão, o Bundesbank, afirmou num tom um pouco diferente que “os bancos poderão brevemente começar a reestruturar a forma como aplicam as baixas taxas de juro aos seus clientes”, disse Joachim Wuermeling à Focus magazine, citado pela Reuters.

O responsável apontou a possibilidade dos bancos começarem a cobrar comissões mais elevadas e a ponderar a introdução de taxas de juro negativas. “Pode ser necessário, de um ponto de vista de negócio e de supervisão bancária”.

Há muito tempo que os alemães olham para o Bundesbank como uma espécie de “porto seguro” e como uma das entidades que garante a estabilidade monetária, segundo a Reuters.

Esta não é a primeira vez que o presidente do BCE é visado pelo Jornal ‘Bild’, durante a crise da zona Euro o jornal alemão aproveitou para entregar um presente a Draghi, desta feita um capacete prusso com o propósito de estimular a confiança do presidente do BCE fazendo referência ao estilo de disciplina alemã.

 

Ler mais
Recomendadas

Espiões russos usaram os Alpes franceses como base para ataques em vários países

Os agentes suspeitos do homicídio de Sergei Skripal no Reino Unido em 2018 passaram por esta região. No total, passaram pelos Alpes 15 operacionais da unidade 29155 da agência de espionagem russa GRU.

Cidade versus campo: Tribunal francês dá razão a 60 patos considerados “barulhentos”

O vizinho argumentou que não conseguia dormir com as janelas abertas, mas o tribunal considerou que estavam asseguradas as devidas distâncias entre as duas propriedades.

FMI aprova segunda fase do programa de Angola e ‘dá’ 222 milhões de euros

O Fundo Monetário Internacional (FMI) aprovou hoje o pagamento de 247 milhões de dólares a Angola, no seguimento da aprovação da segunda avaliação do programa de ajustamento financeiro, num total de 3,7 mil milhões de dólares.
Comentários