Estudantes da U.Porto experimentam primeiro contacto com mundo da investigação

Após três dias de trabalho intenso, termina esta sexta-feira o ‘Congresso’ de estudantes da U.Porto, que mobilizou 487 trabalhos de investigação.

Universidade Porto

O IJUP – Encontro de Investigação Jovem da Universidade do Porto é o primeiro contacto com o mundo da investigação dos estudantes universitários nacionais e internacionais e tem tudo a que isso tem direito: apresentação de posters, apresentação dos artigos científicos, debate e análise.  A ideia é precisamente essa, conforme explica ao Jornal Económico fonte da U.Porto: “estimular a carreira científica dos jovens estudantes, desde cedo”.

Neste congresso “à séria”, vão participar perto de 900 estudantes de licenciatura e mestrado. Cada participante é obrigado a apresentar o seu artigo em língua inglesa, num limite máximo de 10 minutos, e submetê-lo a um período de debate e discussão global de 20 a 30 minutos. Da mesma forma, os posters apresentados deverão cumprir as medidas padrão para os mesmos, redigindo a informação em inglês e disponibilizando-se para apresentar o projeto representado nas sessões de visitas aos mesmos. O evento organiza-se em 44 sessões paralelas, organizadas por área temática.

A presença de microplásticos nas sardinhas, o impacto do comportamento sedentário pós-cirurgia bariátrica, o desperdício de sopa nas cantinas do Porto ou as vantagens do exercício físico para as grávidas e bebés são alguns dos projetos de investigação que serão apresentados durante o congresso, adianta a mesma fonte.

No total, o IJUP 2019 vai contar com 279 apresentações orais e 208 apresentações em poster, num total de 487 trabalhos de investigação. O “congresso” está organizado em 50 sessões paralelas, distribuídas por áreas científicas. Cada estudante faz a apresentação durante 10 minutos, em inglês, seguindo-se um espaço de análise e debate.

Ciências da Saúde, Ciências Biológicas, Química, Ciências da Linguagem e Ciências do Desporto são algumas das áreas mais evidência na edição deste ano da iniciativa. Os 487 trabalhos apresentados foram avaliados e selecionados por uma comissão científica composta por professores e investigadores das catorze faculdades da U.Porto e de alguns dos seus mais reputados centros de investigação, nomeadamente REQUIMTE, CIIMAR e i3S (IBMC; INEB; IPATIMUP).

Recomendadas

PremiumPedro Santa Clara abre escola digital de vanguarda

Na escola 42, não há professores, nem avaliação, mas as aulas são presenciais. Os alunos não pagam. O primeiro curso arranca em fevereiro de 2021 e as candidaturas já estão abertas. O Jornal Económico foi conhecê-la.

Ensino Superior destina 7% das vagas para emigrantes e familiares

O concurso nacional de acesso ao ensino superior, cuja primeira fase arranca a 7 de agosto, tem 3.599 vagas para emigrantes, disponibilizadas por 107 instituições em cerca de 5.000 cursos.

CDS-PP pede explicações ao Governo sobre abandono escolar: “Vai seguir as recomendações do Tribunal de Contas?”

O Tribunal de Contas diz que não é possível conhecer os reais números do abandono escolar em Portugal, devido a fragilidades no sistema de recolha de dados e de monitorização, lacunas que aconselha a resolver. A deputada Ana Rita Bessa quer ministro Brandão Rodrigues no Parlamento.
Comentários