Banco de Fomento terá sido aprovado pelo supervisor

Ainda sem conselho de administração, o Governo espera que a formalização deste banco seja célere. Nova instituição vai ser aprovada em Conselho de Ministros.

Twitter

O diploma que cria o Banco de Fomento, na sua versão definitiva, será aprovado formalmente pelo Conselho de Ministros na reunião desta quinta-feira. De acordo com a notícia avançada pelo jornal “Público“, a aprovação desta legislação aguardava a autorização do Banco de Portugal, entretanto já emitida, depois de, na semana passada, ter tido parecer positivo da Comissão Europeia.

O Governo quer que o processo de formalização seja célere e que dentro de cerca de um mês esteja concretizado o processo de fusão dos organismos de investimento e crédito público que vai agregar. De acordo com o jornal, ainda está por fechar está a composição da sua administração, mas foi dada a garantia de que este aspeto está em fase de finalização.

O Banco de Fomento terá como papel dar apoio às micro, pequenas e médias empresas no âmbito do Programa de Recuperação Económico Social, que entrará em vigor em 2021, para fazer face à crise resultante da quase paragem da economia por causa da pandemia da Covid-19.

Recomendadas

BNI Europa agravou prejuízos para 6,6 milhões de euros até junho

O ativo líquido total era em junho passado de 351,5 milhões de euros, neste caso menos 66,5 milhões de euros face a junho de 2019.

Banco de Portugal obriga financeiras em regime de livre prestação de serviços a reporte

Centenas as instituições estão registadas em Portugal como instituições de crédito da União Europeia em regime de livre prestação de serviços e entidades de moeda eletrónica com sede na Europa em regime de livre prestação de serviços, caso dos bancos digitais N26, Openbank ou Revolut.

Novo Banco quer vender 1.200 milhões de euros em créditos problemáticos até fim do ano

O Novo Banco quer vender 1.200 milhões de euros em crédito malparado até ao final do ano, segundo disse o presidente executivo, António Ramalho, à agência de informação financeira Bloomberg.
Comentários