Conservadores com vantagem nos primeiros resultados das eleições do Irão

Uma agência anunciou que a afluência dos eleitores era de 40% a nível nacional e de 30% em Teerão às 18:00 locais de sexta-feira, hora inicialmente prevista para o fecho da votação.

O bloco conservador iraniano lidera a contagem de votos das legislativas realizadas na sexta-feira, quando está já concluído o processo em quase 25% dos círculos eleitorais, anunciou hoje um porta-voz da Comissão Eleitoral.

Segundo Esmaïl Mussavi, estão contados os votos em 55 dos 208 círculos eleitorais, situados maioritariamente nas zonas rurais das províncias de Azerbaijão Ocidental e Oriental, Isfahan, Bushehr, Jorasan do Sul, Juzestan, Jamedan e Semnan, entre outras.

Não foi adiantado nenhum valor relativo à taxa de participação dos cerca de 58 milhões de eleitores inscritos.

“Relativamente às zonas mais populosas e às grandes cidades o nosso propósito é anunciar os resultados o mais tardar domingo”, acrescentou Mussavi.

Os dados publicados pela Comissão Eleitoral apenas referem o nome do candidato e o número de votos que alcançou, sem identificar o respetivo partido.

Contudo, e de acordo com os meios de comunicação locais, a grande maioria dos deputados já eleitos pertencem ao bloco conservador e ultraconservador.

Para efetuar a contagem dos votos foram credenciados um milhão de pessoas, que trabalharam durante a noite logo após o encerramento oficial das urnas, que sofreu quatro prolongamentos.

A agência semioficial Fars anunciou entretanto que a afluência dos eleitores era de 40% a nível nacional e de 30% em Teerão às 18:00 locais de sexta-feira, hora inicialmente prevista para o fecho da votação.

A votação foi prolongada por quatro vezes, tendo finalmente encerrado às 24:00 locais.

Na manhã do dia de votação, logo após a abertura das urnas, o Guia Supremo do Irão ayatollah Ali Khamenei salientou que votar era um “dever religioso”, referiu a agência oficial IRNA.

Na passada quarta-feira, em conferência de imprensa, o porta-voz do Conselho Guardião, órgão que supervisiona os atos eleitorais no Irão e que desqualificou cerca de sete mil candidatos do bloco reformista e moderado, Abbasali Kadkhodaee antecipou que a afluência poderia situar-se à volta dos 50%.

“Antecipamos que 50% do eleitorado vai votar”, disse então.

Abbasali Kadkhodaee salientou ainda que se os votantes forem menos de 50% tal não será motivo de preocupação.

“Há países europeus em que a participação eleitoral é inferior a 50%”, rematou.

Nas anteriores legislativas, realizadas em 2016, a taxa de participação anunciada oficialmente foi de 62%, e representou uma vitória clara do bloco reformista e moderado, que, designadamente em Teerão, resultou na eleição dos 30 lugares em disputa.

Ler mais
Recomendadas

Espanha regista 683 óbitos nas últimas 24 horas. Já são 15 mil desde o início da pandemia

De acordo com esta entidade governamental, Espanha já superou os 15 mil óbitos por Covid-19 (15.238 mortes no total) e tem neste momento 152.446 contagiados pela pandemia.

Economia britânica recua 0,1% em fevereiro

A contração do PIB do Reino Unido, em parte devido ao setor da construção, surpreendeu os analistas britânicos, que esperavam inclusivamente um crescimento no segundo mês do ano.

Pedro Sánchez pede à oposição a seguir exemplo de Portugal

O primeiro-ministro espanhol pediu esta quinta-feira à oposição de direita para seguir o exemplo de Portugal, onde o presidente do PSD, Rui Rio, fez um “discurso emotivo” a desejar “boa sorte” e a oferecer a sua colaboração na luta contra a covid-19.
Comentários