Coronavírus: Petróleo negoceia em queda devido a riscos de propagação da epidemia

Cerca das 11:55 (hora de Lisboa) o barril de Brent do mar do Norte para entrega em abril negociava a 56,05 dólares no mercado de Londres, uma descida de 4,19% em relação ao preço de encerramento na sexta-feira.

O preço do barril de petróleo está a negociar em queda devido aos riscos de propagação da epidemia de pneumonia viral fora da China que deve afetar a procura mundial, num mercado já excedentário.

Cerca das 11:55 (hora de Lisboa) o barril de Brent do mar do Norte para entrega em abril negociava a 56,05 dólares no mercado de Londres, uma descida de 4,19% em relação ao preço de encerramento na sexta-feira.

Em Nova Iorque, o barril norte-americano de WTI para entrega no mesmo mês perdia 3,97% para 51,26 dólares.

“A propagação da epidemia em Itália e na Coreia do Sul coloca os preços do petróleo sob pressão”, resumiu Carsten Fritsch, analista do Commerzbank.

A epidemia de pneumonia viral tem-se propagado a nível mundial. Com um recorde diário de 231 novos casos de contaminação no período de 24 horas, a Coreia do Sul tem já mais de 800 infetados com o Covid-19.

Na Europa, a Itália tornou-se no fim de semana o primeiro país do continente a impor medidas de quarentena em várias regiões do norte do país.

Segundo números oficiais, a Itália tem 219 casos de contágio do coronavírus e cinco mortos.

Esta descida dos preços do petróleo põe fim a uma progressão do Brent e do WTI, que tinha sido da ordem dos 2% na semana passada e de 10% e 8%, respetivamente, desde a recuperação iniciada a 10 de fevereiro.

“A mudança rápida é explicada pelas preocupações relativas à procura: se mais e mais países e continentes forem afetados pelo vírus, o abrandamento da atividade económica e das viagens será mais significativo”, acrescentou Fritsch.

Os operadores do mercado voltam-se agora para os países membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) e seus aliados que se reúnem na próxima semana em Viena para tentar dar uma resposta quanto à oferta, já em situação excedentária, à medida que os riscos pressionam a procura.

Ler mais

Recomendadas

“Corremos o risco de a zona euro quebrar”, afirma governador do Banco de Portugal

Carlos Costa diz que “nenhuma economia está preparada para uma crise desta natureza” e volta a defender os ‘coronabonds’, em entrevista ao semanário “Expresso”.

Wall Street cai mais de 3% apesar da “bazuca” de 2,2 biliões de dólares

Março de 2020 ficará para a história dos mercados como um dos meses mais loucos de sempre. NYSE fechou em queda num dia em que Congresso dos Estados Unidos entrega um pacote de resgate de 2,2 biliões de dólares.

Bolsas regressam às quedas com setor automóvel a liderar. BCP cai 4% ao adiar dividendos

As desvalorizações mais expressivas dos setores Auto e de Viagens & Lazer espelham a preocupação dos investidores quanto à evolução da pandemia Covid-19, segundo a análise do analista da Mtrader. O BCP cai em bolsa 4% depois de cancelar dividendos e em dia de moratória de créditos.
Comentários