Costa espera concretizar certificação de dívidas de Angola a empresas portuguesas

Para o primeiro-ministro, a visita de Estado que o Presidente de Angola efetuará a Portugal, entre 22 e 24 deste mês, “será uma oportunidade” para se concretizarem vários processos, designadamente “o trabalho já iniciado em setembro, em Angola, em matéria de certificação de dívidas”.

O primeiro-ministro considerou hoje que a visita a Portugal do Presidente de Angola, João Lourenço, é “um momento alto” nas relações luso-angolanas e adiantou que espera concretizar o processo de certificação das dívidas a empresas portuguesas.

António Costa assumiu esta posição em declarações aos jornalistas em Monsanto, Lisboa, antes de presidir à cerimónia de entrega do Prémio Bartolomeu de Gusmão para distinguir inovação científica.

Para o primeiro-ministro, a visita de Estado que o Presidente de Angola efetuará a Portugal, entre 22 e 24 deste mês, “será uma oportunidade” para se concretizarem vários processos, designadamente “o trabalho já iniciado em setembro, em Angola, em matéria de certificação de dívidas”.

Questionado se o problema das dívidas do Estado angolano a empresas portuguesas está resolvido, António Costa referiu que “está em curso”.

“O que está a ser feito era fundamental para se restabelecer a confiança, sem a qual o investimento das empresas portuguesas poderia ser afetado – e era importante que não fosse, porque a relação económica entre os dois países é muito importante”, sustentou António Costa.

O primeiro-ministro salientou, em seguida, que é importante “aproveitar este momento de recuperação económica em Portugal e em Angola”.

“Este é mesmo o melhor momento para crescermos”, sustentou.

António Costa afirmou, depois, que a visita do chefe de Estado angolano a Portugal “é seguramente um momento alto”.

“Na sequência da visita que fiz a Angola em setembro passado, a presença do Presidente João Lourenço em Portugal completa este ciclo de relançamento das nossas relações”.

Segundo o primeiro-ministro português, a visita de Estado de João Lourenço “terá momentos importantes, como no seminário económico ou na intervenção que fará na Assembleia da República”.

Ler mais
Recomendadas

Austrália reconhece Jerusalém Ocidental como capital de Israel

O primeiro-ministro no entanto diz que não vai mudar a embaixada até que haja acordo de paz com a Palestina.

Líderes europeus aprovam reforma da zona euro

Chefes de Estado e de Governo da zona euro aprovaram medidas que visam o aprofundamento da União Económica e Monetária.

José Silvano diz que revisão do regulamento interno do PSD pode evitar novas ‘presenças fantasma’

José Silvano quer que o PSD seja o motor de credibilização dos partidos e que só assim se pode acabar com “o divórcio que existe entre as forças políticas e a sociedade civil”.
Comentários