Costa indica Elisa Ferreira e Pedro Marques para a Comissão Europeia

A apresentação das candidaturas pelos países europeus termina a 26 de agosto. Ursula von der Leyen prometeu compor um novo executivo comunitário paritário.

O primeiro-ministro indicou Elisa Ferreira e Pedro Marques para a Comissão Europeia, avança o jornal Público esta quinta-feira, 8 de agosto.

O ex-ministro das Infraestruturas e a atual vice-governadora do Banco de Portugal estiveram ontem reunidos em Bruxelas com a futura presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen.

“As reuniões que estão a decorrer esta semana são breves encontros informais, para apresentações. Não se tratam de entrevistas de empregos oficiais”, disse um porta-voz da próxima presidente comunitária.

Ursula von der Leyen prometeu compor um novo executivo comunitário que tenha tantos homens como mulheres.

A apresentação das candidaturas pelos países europeus termina a 26 de agosto, e a nova presidente quer ter a sua equipa fechada até essa data.

 

Recomendadas

PS insiste que negociações do Orçamento do Estado para 2022 devem continuar na especialidade

José Luís Carneiro reforçou a intenção do PS em “apreciar as propostas” dos parceiros, mas com o propósito de “encontrar os pontos de equilíbrio e de bom senso”, na última das audiências que o Presidente da República manteve com os partidos nesta sexta-feira.

Catarina Martins sinaliza que “só não há um OE se o Governo não quiser”

A líder bloquista exemplificou algumas das áreas nas quais quer ver avanços no documento de OE, como o SNS ou as “longas carreiras contributivas”, esclarecendo ainda que “não se prende por questões formais”, pretendendo apenas “redações exatas das leis”.
Nuno Melo e Francisco

Nuno Melo abre e Rodrigues dos Santos encerra escola de quadros da Juventude Popular

Atual líder centrista e o eurodeputado que pretende ser o próximo presidente do partido não se irão cruzar no hotel de Portimão onde decorre uma ação de formação que conta com convidados como o social-democrata Miguel Pinto Luz e o socialista Álvaro Beleza, presidente da SEDES.
Comentários