Costa reúne de urgência com gabinete de crise face ao “aumento contínuo” de novos casos

O gabinete de crise para o acompanhamento da evolução da covid-19 em Portugal reúne-se hoje de urgência na residência oficial do primeiro-ministro, em S. Bento.

John Thys/EPA

A reunião, convocada na quinta-feira por António Costa para hoje às 11:30, surge na sequência do “contínuo aumento” de novos casos diários de infeção com o novo coronavírus e pela necessidade de “reforçar a sensibilização dos cidadãos para a adoção de medidas de prevenção e de segurança contra a covid-19”.

Do gabinete de crise, que se reuniu pela última vez em 29 de junho, em São Bento, fazem parte os ministros de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, de Estado e da Presidência, Marina Vieira da Silva, de Estado e das Finanças, João Leão, da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, da Administração Interna, Eduardo Cabrita, do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, da Saúde, Marta Temido e das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos.

Integram ainda este gabinete de crise os secretários de Estado dos Assuntos Parlamentares, Adjunto do Primeiro Ministro, Adjunto e da Defesa, da Juventude e Desporto e da Mobilidade.

Portugal contabiliza hoje mais 10 mortes relacionadas com a covid-19 e 770 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 1.888 mortes e 66.396 casos de infeção.

A DGS indica que cinco mortes foram registadas na região Norte, duas na região de Lisboa e Vale do Tejo, duas na região Centro e uma na região do Algarve.

Em vigilância estão 37.804 contactos, mais 517 do que na quarta-feira.

Ler mais
Recomendadas

Líderes europeus querem evitar a todo o custo novo encerramento de fronteiras, sublinha António Costa

No final do Conselho de Ministros extraordinário desta quinta-feira, António Costa explicou os compromissos e estratégias acertadas entre os líderes dos 27 estados-membros do bloco europeu, sublinhando que a responsabilidade de conter a pandemia e evitar o colapso dos sistemas de saúde é, agora, de cada um “individualmente”.

França vai gastar 15 mil milhões de euros com medidas de contenção para conter novo coronavírus

“Vamos reforçar todos os dispositivos de ajuda”, afirmou o governante, especificando que seis mil milhões respeitam a fundos de solidariedade, sete mil milhões para desemprego parcial (o designado ‘lay-off’), mais de mil milhões para exonerações de contribuições sociais e outro tanto para assumir custos de empresas com alugueres.

“Não desistimos de nenhuma batalha antes de acabar”. PCP apresenta propostas de alteração ao OE 2021

Entre as medidas apresentadas, no campo da justiça fiscal, João Oliveira anunciou que os comunistas pretendem a “atualização dos escalões IRS, o aumento de mais um escalão neste imposto aumentando a progressividade do mesmo, bem como o aumento dos chamados valores do mínimo de existência e dedução especifica, permitindo cumprir o objetivo de redução da tributação dos rendimentos mais baixos, intermédios”.
Comentários