COTEC cria ‘rating’ para avaliar nível de inovação das empresas portuguesas

O “Estatuto Inovador” tem por base métricas utilizadas pelas instituições financeiras para avaliar a robustez da tesouraria e a capacidade de gestão das empresas, entre os quais volume de negócios ou exportações, e referenciais de inovação, como a intensidade de I&D e propriedade intelectual.

A associação empresarial COTEC Portugal anunciou esta terça-feira o lançamento de um rating para avaliar a inovação das empresas e medir a tradução desse investimento em crescimento e rentabilidade.

Designado “Estatuto Inovadora”, o rating de inovação pretende ser mais uma fonte de informação de empresas inovadoras e tonar mais eficiente a avaliação do risco de crédito e assegurar vantagens na relação das empresas com o sector financeiro através de melhores condições de financiamento.

O estatuto tem por base métricas utilizadas pelas instituições financeiras para avaliar a robustez da tesouraria e a capacidade de gestão das empresas, entre os quais volume de negócios, VAB ou exportações, e referenciais de inovação, como a intensidade de investigação e desenvolvimento (I&D) e propriedade intelectual.

“Confere reconhecimento no mercado às empresas inovadoras e à qualidade da sua gestão. Esse reconhecimento deve ser aproveitado e potenciado pelo sector financeiro para poder discriminar melhor o risco das empresas e com isso traduzir-se em melhores condições de acesso a instrumentos financeiros”, refere Jorge Portugal, diretor geral desta associação que promove a inovação e cooperação tecnológica.

“As inovadoras COTEC são empresas que pela aplicação de competências e recursos aos processos de inovação atingem um compromisso superior entre o risco, o crescimento, a rentabilidade e a sustentabilidade”, afirma a presidente da direção da COTEC Portugal, Isabel Furtado.

O rating resulta de uma parceria com o BPI, Banco Português de Fomento, Bankinter, Caixa Geral de Depósitos, European Investment Bank, Millennium BCP, Santander Totta, Instituto Nacional da Propriedade Industrial e Direcção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência.

Recomendadas

PremiumBastam 15 km de nova linha para ligar Faro a Sevilha

Há mais de dez anos que a RAVE equacionou uma solução faseada para ligar as redes ferroviárias do Algarve e da Andaluzia implicando um investimento mínimo para Portugal e a utilização do Alfa Pendular.

PremiumO novo arsenal da Netflix para fechar ano em força

Há qualquer coisa na história dos primeiros anos da Netflix que nos desconcerta.

BlackRock, HSBC e UBS são dos que mais investiram na dívida da Evergrande

Depois de analisar as exposições à Evergrande pelos seis maiores fundos de obrigações de alto rendimento na Ásia, a Morningstar assinalou que aquelas três instituições estiveram a “acumular” dívida da Evergrande nos últimos meses.
Comentários