PremiumCountry Manager da Regus IWG: “Procura pública de coworking tem aumentado”

Empresa já possui treze centros em Portugal e prepara-se para abrir um novo espaço no Marquês de Pombal em Lisboa, em 2019, e fazer a sua estreia no Algarve, na zona da Quinta do Lago, para o início de 2020.

“A procura do coworking no sentido público e não dos escritórios tem vindo a aumentar no último ano”. A opinião é Jorge Valdeira, country manager da Regus, empresa de coworking integrada no International Workplace Group (IWG). Em declarações ao Jornal Económico, o responsável da Regus justifica esta afirmação com o atual crescimento da economia portuguesa, mas “mais do que isso, cresce estruturalmente, porque este conceito é cada vez mais considerado pelas grandes empresas que estão a optar cada vez mais por espaços de coworking, essa é a grande mudança”, salienta Jorge Valdeira.

Com cerca de três mil unidades espalhadas por 900 cidades de 120 países, a Regus chegou a Portugal em 1994, com a abertura de um espaço na Avenida da Liberdade, em Lisboa, que ainda hoje funciona como sede da empresa. Atualmente, o grupo tem 13 espaços divididos por Lisboa, Oeiras, Braga, Porto e Vila Nova de Gaia, tendo como objetivo chegar às 15 unidades a breve prazo, com a abertura ainda em 2019 de um espaço no Marquês de Pombal, em Lisboa, que pertencerá à marca Spaces (grupo integrado na Regus), com um investimento de três milhões de euros numa área de cinco mil m2, com capacidade para receber 700 pessoas.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas
jerónimo_de_sousa_cdu_pcp_pelislativas

PCP propõe mínimo de dez anos para os contratos de arrendamento de habitação

Deputados comunistas dizem que aumento da duração dos contratos é a solução para muitas famílias que “estão constantemente em mudanças e com a preocupação de encontrar novamente habitação”, no que consideram ser uma consequência das “injustiças” do Novo Regime de Arrendamento Urbano.

Assembleia Municipal de Lisboa aprova novo Regulamento da Habitação

O novo regulamento foi aprovado, em reunião de câmara, a 30 de outubro, com os votos favoráveis de PS, BE e CDS-PP e a abstenção de PSD e PCP.

Startup Lisboa lança concurso para reabilitar Hub Criativo do Beato

O espaço que compreende o Hub Criativo do Beato foi cedido pelo Governo por um arrendamento de 7,1 milhões de euros, por um período máximo de 50 anos. A proposta de Orçamento Municipal de Lisboa até 2020 tem previstos 22 milhões de euros para o Hub Criativo do Beato.
Comentários