Covid-19: Airbus anuncia redução de um terço na produção de aviões

O construtor europeu de aviões Airbus anunciou esta quarta-feira que vai fazer uma redução de um terço no ritmo de produção, adaptando as suas capacidades à evolução do mercado mundial de aeronáutica face à pandemia de covid-19.

“Os nossos clientes, as companhias aéreas, são bastante afetadas pela covid-19. Adaptamos a nossa produção à nova situação e trabalhamos em medidas operacionais e financeiras para fazer face a esta realidade”, afirmou o líder da Airbus, Guillaume Faury, citado num comunicado do grupo.

O fabricante europeu, que teve de suspender as linhas de montagem em Tianjin (China) e Toulouse (França) devido à epidemia e cuja produção em Bremen, na Alemanha, e Mobile, nos Estados Unidos, está provisoriamente suspensa, indicou que vai reduzir a produção mensal para 40 aparelhos do modelo 320, contra os 60 produzidos antes da crise, passando para dois os A330 e para seis aparelhos mensais do tipo A350.

Em meados de fevereiro, Faury tinha dito que apontava para a entrega de 40 aviões A330 ao longo do ano e para uma produção mensal de nove ou dez A350.

“Isto representa uma redução de cerca de um terço na cadência média”, referiu a Airbus, que tinha registado 21 encomendas em março e feito a entrega de 36 aparelhos, numa altura em que a sua concorrente norte-americana Boeing foi forçada a parar toda a produção de aviões civis nos Estados Unidos devido à pandemia.

Desde o início do ano, a Airbus registou no total 66 cancelamentos, 44 dos quais em março.

“O impacto desta pandemia não tem precedentes”, sublinhou Guillaume Faury. “Proteger os nossos trabalhadores e apoiar a luta contra o vírus são as nossas principais prioridades neste período. Estamos em diálogo constante com clientes e fornecedores”, acrescentou.

O construtor aeronáutico anunciou em 23 de março que obteve uma nova linha de crédito para elevar a liquidez disponível de 20 mil milhões para 30 mil milhões de euros. Também foi cancelado o pagamento aos acionistas de dividendos relativos ao ano de 2019, bem como as previsões de resultados para 2020.

Ler mais
Recomendadas

Hotéis do grupo Prainha reabrem com 24 horas de intervalo em cada dormida

As unidades hoteleiras em Alvor e Lagos voltam a abrir portas na próxima sexta-feira.

Respostas rápidas: Como vai funcionar o novo Instrumento de Apoio à Solvabilidade europeu

O novo instrumento temporário proposto pela Comissão Europeia é dirigido a empresas “economicamente viáveis”, mas que enfrentam problemas de solvabilidade provocados pela crise da Covid-19. Quer desbloquear 300 mil milhões de euros para empresas situadas na União Europeia e um dos critérios de acesso é que com base nas contas de 2019 não apresentassem já necessidades de auxílios.

Berlim e Bruxelas chegam a acordo sobre resgate da Lufthansa

Várias fontes disseram à agência France-Presse que este compromisso prevê, sobretudo, que a Lufthansa ceda oito aviões a empresas concorrentes, assim como os direitos de aterragem e descolagem associados.
Comentários