Covid-19: CDS-PP acusa Governo de discriminar a tauromaquia

Em comunicado, hoje divulgado, o CDS-PP afirma que a situação é tanto mais grave “pelo facto de serem permitidos espetáculos em recintos tauromáquicos, mas não touradas”.

O CDS-PP acusou hoje o Governo de discriminar o setor tauromáquico, ao não permitir o retomar das touradas, diferenciando a atividade do restante setor cultural no processo de desconfinamento, no âmbito da pandemia de covid-19.

Em comunicado, hoje divulgado, o CDS-PP afirma que a situação é tanto mais grave “pelo facto de serem permitidos espetáculos em recintos tauromáquicos, mas não touradas”.

“O setor tauromáquico é mais uma vez atacado gratuitamente por um Ministério condicionado a gostos pessoais de uma ministra [da Cultura, Graça Fonseca], e à pressão de grupos radicais minoritários na sociedade portuguesa”, lê-se no texto.

O CDS-PP salienta que esta situação surge “a par da discriminação no IVA, da idade legal para assistir a espetáculos e ao atraso e omissão nos apoios ao setor cultural”.

Assim, os centristas exigem “respeito pela tauromaquia e pelos artistas que dela dependem para ganhar a vida” e recusam-se “a pactuar com políticas discriminatórias que atacam uma tradição portuguesa enraizada na nossa cultura há centenas de anos”.

“Portugal é uma democracia plena em que as liberdades individuais de cada um devem ser respeitadas por todos e, acima de tudo, pelo Governo”, frisa o CDS-PP.

Portugal avança na segunda-feira para a terceira etapa do desconfinamento com o regresso às aulas presenciais no secundário e no ensino superior e com a reabertura de lojas, restaurantes e cafés.

Os equipamentos culturais cujo funcionamento seja admitido podem funcionar até às 22:30 durante os dias de semana e até às 13:00 aos fins de semana e feriados.

Quatro concelhos – Moura, Odemira, Portimão e Rio Maior – irão, contudo, recuar à primeira fase do desconfinamento e outros seis vão permanecem na fase atual – Alandroal, Albufeira, Carregal do Sal, Figueira da Foz, Marinha Grande e Penela

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.011.975 mortos no mundo, resultantes de mais de 140,6 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 16.945 pessoas dos 831.001 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Ler mais
Relacionadas

Jerónimo de Sousa critica partidos que chumbaram propostas do PCP sobre enriquecimento injustificado

“Os que em geral se têm oposto [às propostas do PCP] aparecem hoje com um discurso hipócrita de falsa indignação a anunciar que o regime está doente”, considerou Jerónimo de Sousa quando falava sobre corrupção.

Coligação PSD/CDS-PP no Funchal não deve integrar mais partidos (com áudio)

O líder do PSD Madeira disse que o acordo para as eleições autárquicas com o CDS-PP Madeira é reflexo “de uma experiência de coligação governamental que, modéstia à parte e sem falsas humildades, tem corrido bem e a nossa ideia é replicar esta fórmula que tem tido sucesso perante o serviço público que prestamos também a nível autárquico”, enquanto que o líder do CDS-PP Madeira classificou o acordo autárquico firmado de “histórico” entre “dois partidos fundadores da democracia, entre dois partidos que acreditam no municipalismo e na subsidiariedade, porque o poder local é o que está mais próximo e representa sempre melhor os interesses das populações e a descentralização”.
Recomendadas

Deputados aprovam orçamento suplementar da Assembleia da República

No plano da receita, é integrada uma verba de 9,9 milhões de euros, relativa à rubrica “saldo da gerência anterior/saldo orçamental”.

Concelhos em alerta. Só Cabeceiras de Basto dá o passo atrás no desconfinamento

O cordão sanitário manter-se-á nas duas freguesias de Odemira. Ainda assim, a ministra Mariana Vieira da Silva diz que a redução da incidência do vírus “é um sinal de uma pandemia que se encontra controlada, pese embora a existência de surtos”.

Luís Osório: “António Costa é um político à antiga. Poderia discutir política com Soares, Cunhal ou Sá Carneiro”

“Ficheiros Secretos – Histórias Nunca Contadas da Política e da Sociedade Portuguesas” é o novo livro de Luís Osório, que se propõe a contar histórias até agora desconhecidas de protagonistas como Mário Soares, Álvaro Cunhal, Cavaco Silva, entre outros. Saiba mais nesta Fast Talk da JE TV com o jornalista e escritor.
Comentários